Busca
Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaYoutube Aventuras na HistóriaTiktok Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Arte

Após 100 anos sumida, pintura de Gustav Klimt é encontrada e vai a leilão

A tela “Retrato da Senhorita Lieser”, avistada pela última vez em 1925, pode ser arrematada por um valor surpreendente em leilão

Redação Publicado em 26/01/2024, às 19h49

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
"Retrato da Senhorita Lieser”, de Gustav Klimt - Reprodução/Instagram/@auktionshausimkinsky
"Retrato da Senhorita Lieser”, de Gustav Klimt - Reprodução/Instagram/@auktionshausimkinsky

Após quase 100 anos desaparecido, um quadro do pintor austríaco Gustav Klimt foi encontrado em uma coleção privada. A obra, intitulada “Retrato da Senhorita Lieser”, foi produzida em 1917 e será leiloada em 24 de abril. Especialistas acreditam que a peça pode ser arrematada por R$ 370 milhões de reais, com base nas últimas vendas de pinturas do artista.

Nesta quinta-feira, 25, a tela foi apresentada pelo público pela primeira vez em quase 100 anos, durante uma coletiva de imprensa em Viena. O quadro é uma obra tardia do artista, encomendada por uma família judia rica. 

Conforme repercutido pelo jornal O Globo, a pintura, que se encontra em ótimo estado de preservação, foi avistada pela última vez durante uma exposição na capital austríaca em 1925, como comprovado por uma fotografia em preto e branco, tida como a única prova de sua existência. 

Mistério 

Após a mostra, a obra desapareceu, ressurgindo quando os atuais proprietários buscaram uma avaliação legal ao herdar a peça de parentes distantes que a detinham desde a década de 1960.

Apesar das investigações, permanece um mistério o que ocorreu com o quadro durante o período em que esteve desaparecido, segundo o especialista Ernst Ploil, da casa de leilões Kinsky, em uma declaração à imprensa.

Na pintura, uma jovem de vestido colorido é representada em destaque sobre um fundo vermelho. Antes de sua venda, que pode chegar a € 70 milhões (R$ 373 milhões), segundo a Kinsky, a obra será exposta na Alemanha, Hong Kong, Reino Unido e Suíça. 

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!