Notícias » Brasil

Após copiar discurso do ministro da Propaganda da Alemanha Nazista, Roberto Alvim relata "coincidência retórica"

"Foi, como eu disse, uma coincidência retórica. mas a frase em si é perfeita", afirmou o Secretário Especial de Cultura do Governo Bolsonaro nas redes sociais

Redação Publicado em 17/01/2020, às 11h30

Roberto Alvim e Joseph Goebbels
Roberto Alvim e Joseph Goebbels - Reprodução

Durante a transmissão de um comunicado oficial do governo, o Secretário Especial de Cultura do Governo Bolsonaro, Roberto Alvim, causou polêmica nas redes sociais ao parafrasear trechos do discurso de Joseph Goebbels, ministro da Propaganda da Alemanha nazista. 

Após o ocorrido, Alvim usou o Facebook para se pronunciar sobre o ocorrido. Para ele, o que aconteceu foi uma "coincidência retórica". Ainda afirmou que "não há nada de errado com a frase". De acordo com o Secretário Especial de Cultura do Governo Bolsonaro, a esquerda estaria "tentando desacreditar" o programa de incentivo a arte anunciado no controverso vídeo.

“(...) O trecho fala de uma arte heróica e profundamente vinculada às aspirações do povo brasileiro. não há nada de errado com a frase. todo o discurso foi baseado num ideal nacionalista para a Arte brasileira, e houve uma coincidência com UMA frase de um discurso de Goebbles… não o citei e JAMAIS o faria. Foi, como eu disse, uma coincidência retórica. mas a frase em si é perfeita: heroísmo e aspirações do povo é o que queremos ver na Arte nacional”, afirmou no fim do comunicado.

Confira as notórias semelhanças entre o discurso de Alvim e Goebbels.

 “A arte brasileira da próxima década será heroica e será nacional. Será dotada de grande capacidade de envolvimento emocional e será igualmente imperativa, posto que profundamente vinculada às aspirações urgentes de nosso povo — ou então não será nada”, afirmou Alvim em um vídeo fúnebre.

“A arte alemã da próxima década será heroica, será ferreamente romântica, será objetiva e livre de sentimentalismo, será nacional com grande páthos e igualmente imperativa e vinculante, ou então não será nada”, trecho do discurso do ministro de Hitler presente em Joseph Goebbels: Uma Biografia, do escritor Peter Longerich.