Notícias » Arqueologia

Bolsa encontrada na Bolívia revela o uso de diversas drogas pelos indígenas americanos

O objeto carregava diversos artefatos para consumo de drogas e o estudo detectou traços químicos de cocaína e materiais usados na produção do ayahuasca

Jânio de Oliveira Freime Publicado em 08/05/2019, às 14h00

Bolsa e artefatos encontrados na Bolívia
Bolsa e artefatos encontrados na Bolívia - Crédito: Divulgação

Na Bolívia, pesquisadores encontraram um túmulo datado em 1.000 anos. A descoberta revela que o cadáver que descansava na tumba possuía um alto conhecimento de botânica e farmacologia. O sítio ficou conhecido como Caverna do Chileno.

No túmulo, que fora profanado antes da descoberta e estava sem o corpo, a equipe encontrou uma bolsa de couro bem preservada com diversos elementos usados para o consumo de entorpecentes, como objetos retangulares entalhados em madeira para inalação de substâncias, um tubo, duas espátulas de osso de lhama, pedaços de plantas secas e uma bolsinha fabricada com três ossinhos de raposa.

A análise química demonstrou traços claros de diversas substâncias. Entre elas, se detectou traços de harmina e DMT (alucinógenos) e substâncias com origem em duas plantas que, juntas, são usadas para a produção do chá de ayahuasca.

O estudo na bolsa também revelou a presença de cocaína, folhas de coca (devido à presença da benzoilecgonina) e bufotenina, presente em sementes que eram trituradas e inaladas na época.

As pesquisas destacaram que as plantas mencionadas não foram produzidas na região onde o túmulo foi encontrado, indicando a circulação desses materiais entre comunidades diferentes.

Montanhas de Sur Lípez, onde a bolsa foi encontrada / Crédito: Wikimedia commons

 

Os pesquisadores da área apontam que os Andes antigos eram espaço de práticas e conhecimentos extremamente complexos das propriedades fisioterápicas e fitofarmacológicas das plantas americanas, e que o conhecimento dessas propriedades só era possível através do consumo e da experiência fisiológica.

O sítio escavado pertence a uma época de decadência da influencia dos Tihuanaco no coração dos Andes. Alguns estudos indicam que elementos ritualísticos, envolvendo objetos para consumo desses psicoativos, era parte de um processo baseado em costumes que objetivava expandir aquele sistema cultural a outras regiões.

Panela de preparo do Ayahuasca / Crédito: Reprodução

 

Os especialistas dos rituais foram, provavelmente, membros muito influentes dessas antigas sociedades andinas, pois o consumo dessas drogas possibilitava o acesso às divindades.

Entretanto, muitos autores afirmam que o consumo dessas drogas é pouco compreendido, deixando a questão em aberto. Ainda não se sabe como funcionava o consumo das substâncias. Ainda existem rituais de consumo de ayahuasca na Bolívia, mas os historiadores ainda não conseguem afirmar em que ponto eles são compatíveis com os rituais antigos.