Busca
Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaYoutube Aventuras na HistóriaTiktok Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Equador

Equador usa tanques de guerra para entrar em prisões após libertar reféns

As forças policiais do Equador realizaram, no último fim de semana, operações em seis penitenciárias do país, que se encontra em meio a uma enorme onda de violência

por Giovanna Gomes

ggomes@caras.com.br

Publicado em 15/01/2024, às 08h15

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Tanque de guerra nas ruas do Equador - Divulgação/vídeo/X
Tanque de guerra nas ruas do Equador - Divulgação/vídeo/X

Após a libertação de 178 reféns, as forças policiais do Equador realizaram operações em seis penitenciárias, inclusive utilizando um tanque de guerra. As primeiras delas foram conduzidas durante a noite de sábado, 13, a conforme mostram vídeos e fotos aéreas divulgadas pela polícia, que retratam as forças de segurança chegando às unidades prisionais.

Em Machala, no sul do país, uma coluna de homens foi acompanhada por um tanque de guerra e um veículo blindado. De acordo com o portal UOL, uma explosão na fachada da prisão foi ouvida antes que as forças de segurança avançassem. Vídeos evidenciam soldados procurando locais seguros ao adentrar os terrenos prisionais, repetindo-se em outras unidades prisionais no início deste domingo.

As operações visam seis penitenciárias onde detentos mantiveram agentes penitenciários e funcionários da administração como reféns.

Os reféns foram liberados durante a noite, com a primeira libertação intermediada pela igreja. Dentro das prisões, os detentos foram algemados, alinhados e submetidos a revistas, enquanto as instalações foram varridas em busca de armas, drogas e celulares.

Armas encontradas

Segundo a fonte, foram descobertas armas de grosso calibre, incluindo pistolas envoltas em plástico, juntamente com carregadores de munição sobressalentes.

Até o meio-dia (horário de Brasília), as seis unidades prisionais estavam sob controle das forças de segurança, conforme informado pelo Exército do Equador, que destacou que a operação está em andamento.

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!