Notícias » Religião

Presidente das Filipinas decreta o fim da Igreja Católica: “Desaparecerá em 25 anos”

Rodrigo Duterte fez uma série de ataques à Igreja e criticou os abusos cometidos pelo clero

Alana Sousa Publicado em 26/02/2019, às 17h30

Rodrigo Duterte
Reprodução

Rodrigo Duterte fez uma declaração polêmica nesta segunda-feira, 25, contra a Igreja Católica, dizendo que “ela desaparecerá em quase 25 anos” e que “as pessoas a esquecerão”. O presidente filipino é conhecido por fazer comentários severos ao clero.

Duterte é batizado como católico, mas constantemente ataca esta religião, se referindo aos bispos como “tolos inúteis” e “filhos da p***”. Em novembro do ano passado, chegou a acusar o bispo filipino Pablo Virgilio David de usar drogas ilegais, além de incitar seus compatriotas a matar os bispos católicos do país.

“Quando eles ficam com tesão eles vão atrás de freiras. Se eles são gays, eles vão atrás de garotos jovens. Quem precisa de uma religião como essa?”, questionou Duterte sobre o clero. Ele disse também que a maioria dos bispos católicos são gays, e que eles deveriam “sair ao ar livre, cancelar o celibato e se permitir ter namorados”.

Rodrigo ainda descreveu a Santa Igreja como "a instituição mais hipócrita" do mundo, argumentando que seu Deus é diferente daquele em que os católicos acreditam.

A maioria da população da Filipinas, cerca de 80%, se identifica como católicos romanos.