Notícias » Tecnologia

Microsoft recupera equipamento que ficou submerso há 2 anos

Submerso no oceano, o data center estava desempenhando uma função ambiciosa — e o resultado foi surpreendente

Alana Sousa Publicado em 16/09/2020, às 13h30

O equipamento sendo retirado da água
O equipamento sendo retirado da água - Divulgação/Microsoft

Após dois anos, a Microsoft retirou do fundo do oceano na costa de Orkney, Escócia, um data center que atuava no mar como parte de um experimento do Projeto Natick. O equipamento buscava utilizar a baixa temperatura da água como sistema de refrigeração para realizar suas funções básicas — e o resultado surpreendeu os pesquisadores.

Os especialistas retiraram o item do oceano para que sua eficiência energética pudesse ser testada. Felizmente, o projeto apresentou bons resultados: de 855 servidores do data center, apenas 8 apresentaram algum tipo de falha.

Equipamento fora da água / Crédito: Divulgação/Microsoft

 

“Nós conseguimos funcionar muito bem no que a maioria dos data centers consideraria um grid não confiável. Esperamos poder olhar os resultados e afirmar que talvez não precisemos de tanta infraestrutura focada em energia e confiabilidade”, explicou Spencer Fowers, membro do projeto.

A conservação impressionante do equipamento se deve pela atmosfera de nitrogênio que conseguiu reduzir a corrosão, além disso, a interferência humana direto com o objeto não existiu, o que também pode ter contribuído para seu bom estado final, explica o coordenador do projeto Ben Cutler.

Apesar da aparente complexidade do estudo, os cientistas do Projeto Natick afirmam que foi relativamente fácil manter a grande estrutura embaixo da água. Os resultados positivos são uma esperança para que, no futuro, essa seja a maneira ideal de armazenamento de tais dados.