Busca
Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaYoutube Aventuras na HistóriaTiktok Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Gravidez

Mulher se torna mãe pela primeira vez após 25 anos de tentativas

Aos 53 anos de idade, a escocesa Helen Dalglish deu à luz sua primeira filha

por Giovanna Gomes

ggomes@caras.com.br

Publicado em 05/06/2023, às 09h12

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
A escocesa Helen Dalglish com sua filha Daisy Grace - Divulgação / Dunya IVF Clinic
A escocesa Helen Dalglish com sua filha Daisy Grace - Divulgação / Dunya IVF Clinic

Após enfrentar 21 tentativas de fertilização in vitro ao longo de 25 anos, uma mulher conseguiu engravidar aos 53 anos. Helen Dalglish, natural da Escócia, deu à luz sua filha, Daisy Grace, em setembro do ano passado. Ela investiu cerca de 100 mil euros, equivalente a mais de R$ 600 mil, em tratamentos para alcançar a gestação.

Atualmente com 54 anos, Helen compartilhou que nunca considerou desistir de se tornar mãe e, por vezes, ainda se surpreende com sua conquista. Em entrevista ao jornal Daily Record, ela afirmou: "Quando você alcança aquele pequeno milagre no final, você esquece os 25 anos".

A escocesa, residente em Glasgow, explicou que o que a manteve persistente foi visualizar o seu bebê. Ela admitiu ter tentado desistir em alguns momentos, dizendo a si mesma para parar de se punir e de forçar seu corpo. Porém, a vontade de ser mãe falava mais alto.

De acordo com o portal UOL, Helen descreveu: "Eu olhava para baixo e, à medida que a barriga crescia, pensava: 'Estou sonhando?' Mesmo olhando para ela, ainda não consigo acreditar que sou mãe. É surreal."

Décadas de tentativas

Helen e seu marido começaram a tentar engravidar quando ela tinha 28 anos, mas não tiveram sucesso. Eles realizaram uma série de exames médicos para identificar o problema e foram diagnosticados com "infertilidade inexplicável", pois os médicos não encontraram nenhuma causa específica para a dificuldade de conceber.

Alguns exames realizados durante um período em que o casal morou no Chipre, porém, sugeriram que o posicionamento do útero de Helen poderia ser um problema. Diante disso, o casal decidiu tentar inseminação artificial, na qual o esperma é inserido diretamente no útero.

No entanto, as quatro tentativas feitas pelos escoceses não foram bem-sucedidas. Foi quando eles optaram pela fertilização in vitro, método no qual o embrião é concebido em laboratório, com os gametas dos pais.

Após várias tentativas frustradas, outro médico examinou Helen e constatou que seu útero estava desalinhado. Ao solucionar o problema, ela finalmente conseguiu engravidar três vezes, mas acabou sofrendo abortos espontâneos. No ano passado, em sua última tentativa, ela finalmente coseguiu levar uma gestação adiante.

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!