Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Brasil

Para OAB, há indícios de execuções em operação deflagrada na Vila Cruzeiro

25 pessoas foram mortas na última terça-feira, 24

Redação Publicado em 26/05/2022, às 07h20

Familiares das vítimas em frente ao IML - Divulgação / TV Globo
Familiares das vítimas em frente ao IML - Divulgação / TV Globo

O procurador da Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-RJ), Rodrigo Mondego, declarou ontem, 25, que existe suspeita de tortura e execução durante a operação realizada na região da Vila Cruzeiro, no Complexo da Penha, Rio de Janeiro.

"Existem indícios de execuções, em algumas regiões. Indícios de que pelo menos uma pessoa foi torturada antes de ser morta, ontem. E existem indícios de mortos a facadas. Então, a gente está aguardando o desenrolar da perícia do IML para ver em que condições essas pessoas foram mortas", disse o procurador.

Segundo o portal de notícias G1, o ouvidor-geral da Defensoria Pública, Guilherme Pimentel, se dirigiu ao local do confronto, onde 25 pessoas morreram, para que pudesse ouvir moradores.

"A gente veio aqui com moradores, lideranças. A gente está escutando o que eles têm a dizer. Eles vieram aqui nos mostrar a área onde tudo aconteceu e isso faz parte da nossa apuração para que a gente consiga prestar o melhor serviço pra população, principalmente para as famílias afetadas", declarou Pimentel.

Operação Vila Cruzeiro

A operação, deflagrada pela Polícia Militar do Rio de Janeiro em conjunto com a Polícia Rodoviária Federal, tinha o objetivo de prender integrantes do Comando Vermelho, além de suspeitos oriundos de outros estados que estariam escondidos no complexo.

A ação, de acordo com a PM, vinha sendo planejada há meses, porém acabou sendo realizada de forma emergencial a fim de impedir uma suposta migração do grupo para a Rocinha.