Busca
Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaYoutube Aventuras na HistóriaTiktok Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Charles Manson

Produtor revela como descobriu que estava na lista de próximas vítimas de Charles Manson

A busca de Charles Manson por uma carreira musical quase custou a vida de um produtor musical

Redação Publicado em 27/09/2023, às 18h46 - Atualizado em 28/09/2023, às 10h28

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Charles Manson e Gary Stromberg - Divulgação/Vídeo/Youtube -  Divulgação / Garystromberg.net
Charles Manson e Gary Stromberg - Divulgação/Vídeo/Youtube - Divulgação / Garystromberg.net

Durante o podcast ‘Stones Touring Party’, o produtor musical Gary Stromberg relembrou seu primeiro encontro com Charles Manson e compartilhou que o mesmo pretendia assassiná-lo. Ele explicou ao apresentador, Jordan Runtagh, que costumava visitar seu amigo, Phil Kaufman, na prisão, e que o mesmo dividia uma cela com o serial-killer.

Manson, ao sair do espaço de detenção em uma das múltiplas vezes em que foi preso, decidiu perseguir um de seus sonhos: ser um músico. Sabendo dessa jornada, Kaufman fez a ponte entre ele e Stromberg, que naquela época trabalhava na produtora Universal. 

Eu liguei para Russ Reagan, que liderava a Uni Records — eles tinham acabado de começar a gravadora. Eu disse, 'Tem um cara aqui, acho que deveria ouvi-lo'. Ele disse, 'Claro, traga ele aqui’. Então eu fui até o escritório dele. Charlie sentou e começou a tocar. Russ ficou tipo, 'O que é isso?' Envergonhado, ele disse, 'Vou te dar dinheiro para fazer uma demo'. Então gravamos uma demo", disse o produtor durante o podcast.

Manson gravou um total de cinco músicas, entre elas “The Love and Terror”, que chegou a ser lançada em 1970. Conforme repercutido pela Revista Rolling Stone Brasil, o líder da Família Manson também foi creditado como co-autor da canção “Never Learn Not to Love”, dos Beach Boys. 

Visões artísticas

Russ, que desaprovou todas as gravações, mandou Stromberg se livrar de todas as músicas de Manson, criando uma tensão entre o serial-killer e o produtor.

Ele [Manson] tentou me contatar para tentar outras gravadoras e eu disse, 'Desculpe, não é comigo. Está fora da minha alçada.' Nós paramos de nos falar de um modo ruim", contou Gary no podcast ‘Stones Touring Party’.

Determinado a realizar seu sonho musical, ele tentou uma nova parceria com o músico e produtor, Terry Melcher, mas não obteve sucesso. No dia 9 de agosto de 1969, Charles Manson e seus seguidores assassinaram todos os presentes na residência da 10050 Cielo Drive, onde Melcher vivia quando trabalharam juntos. 

Quando toda essa merda sobre Sharon Tate veio à tona, ele foi preso. Então o FBI veio até mim e disse que, quando prenderam Charlie, encontraram uma lista de pessoas que ele pretendia assassinar — e eu estava na lista", afirmou o Stromberg.

Assustado e “temendo pela própria vida”, Gary Stromberg fugiu para a Europa, pois segundo ele, “tinha outras pessoas nas ruas. Elas ainda faziam parte do movimento de Manson. Eu conheci Charlie ao longo de alguns meses, então eu sabia um pouco sobre ele, e também sabia que a prisão dele não removia a ameaça. Fiquei me mudando pela Europa até me sentir seguro para voltar”, concluiu o produtor.

Uma vez atrás das grades, Charles Manson e seu seguidores foram acusados de ter tirado a vida de sete pessoas. Ele faleceu na prisão em 19 de novembro de 2017, aos 83 anos, de causas naturais. 

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!