Busca
Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaYoutube Aventuras na HistóriaTiktok Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Kim Jong-Un

As recentes aparições da filha de Kim Jong-Un

A filha do ditador norte-coreano Kim Jong-Un, levanta especulações sobre a sucessão do governo

Redação Publicado em 29/11/2022, às 19h21

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Imagem de Kim Jong-un em carro - Getty Images
Imagem de Kim Jong-un em carro - Getty Images

O líder norte-coreanoKim Jong-un pode estar preparando sua filha de identidade misteriosa para ser sua sucessora. A menina, que não teve nem o nome e nem a idade revelados, apareceu em público pela segunda vez — e isso pode indicar "um recado" do líder.

Ela apareceu acompanhada de seu pai num encontro com soldados, cientistas e outros envolvidos no lançamento do míssil Hwasong-17, como divulgado agência estatal norte-coreana KCNA, no último domingo, 27. O nome e a idade da menina não foram revelados pela mídia estatal que apenas a descreve como "mais amada" e "preciosa".

As fotos, que não eram datadas, diziam, como informado pelo UOL, que Kim e sua filha estavam diante de uma multidão "cheia de paixão e felicidade sem limites". Essa alegria da multidão, expressou "a mais alta glória e ardente reverência por ele", segundo a KCNA.

Mesmo que seu nome nunca tenha sido divulgado, acredita-se que, que ela se chame Kim Ju-ae e tenha em torno de 12 e 13 anos de idade, como apontado por Michael Madden, especialista na Coreia do Norte do Centro Stimson, em Washington (EUA).

Aparições

A primeira vez que fotos do pai e da filha foram divulgadas, foi em 19 de novembro de 2022, pela KCNA. Já se especulava há muito tempo que a garota existia e as fotos confirmaram as suposições.

Nessa ocasião, ela e seu pai, conversavam com autoridades, inspecionavam mísseis e observavam o lançamento de um míssil balístico intercontinental de um mirante no dia anterior.

Para o especialista Michael Madden, a aparição da menina poderia significar um recado de Kim Jong-un, como um "a quarta geração de sucessão no poder virá através da minha linha (de sangue)".

"A revelação da filha de Kim Jong-un interessou os analistas da Coreia do Norte muito mais do que a notícia de que o país lançou com sucesso seu mais poderoso míssil balístico intercontinental", disse a correspondente da BBC em Seul, Jean Mackenzie, como repercutido pelo UOL.

"Será que isso significa que ela foi escolhida como sucessora de Kim Jong-un e um dia governará a Coreia do Norte?", questionou.

A segunda "leva" de fotos da menina, foram publicadas no domingo, sem nenhuma menção a idade ou nome dela. Mesmo que essa seja a opinião de muitos analistas, outros acreditam que ainda seja muito cedo para declarar se ela será ou não a sucessora. 

"Isso é certamente impressionante. A fotografia de Kim Ju-ae ao lado de seu pai enquanto é celebrada por técnicos e cientistas envolvidos no último lançamento do ICBM apoiaria a ideia de que este é o começo de seu posicionamento como uma sucessora em potencial", disse Ankit Panda, especialista do Carnegie Endowment for International Peace, à emissora NBC.

Por ter "sido revelada" tão cedo, o que também se supõe, entre os analistas, é que a saúde do líder pode não andar bem. 

"Por que revelá-la agora? Ela ainda é muito jovem. Se ele a está preparando para assumir, isso pode significar que o líder de 38 anos tem problemas de saúde? Sua saúde é alvo de muita especulação porque parece ser o maior risco para a estabilidade do regime", disse Jean Mackenzie, da BBC. 

Uma governante mulher

A possível sucessora de Kim Jong-un, apesar de filha do líder, encontra um obstáculo: ser uma mulher. Segundo Chun Su-jin, sul-coreana autora de um livro sobre mulheres líderes norte-coreanas, à Reuters, a menina dificilmente seria aceita pelas elites norte-coreanas como uma mulher governante

Ela ainda revelou que isso, possivelmente, tem relação com a imagem do ditador, que quer mostrar ser também um pai amoroso. 

"O país não está pronto para um líder do outro gênero [uma mulher]", disse ela. "[Kim] está apenas tentando mostrar que é um pai amoroso, e não só um ditador brutal que atira mísseis."

"Na Coreia do Norte, o gênero ainda é importante para ser um líder", diz Hyun In-ae, um desertor norte-coreano que agora trabalha no Instituto Ewha de Estudos de Unificação, em Seul, na Coreia do Sul.

No governo, uma mulher chama a atenção atualmente, a irmã de Kim, Kim Yo-jong. Ela foi vista como uma possível substituta para ele, quando em 2020, surgiram rumores sobre a saúde do ditador. 

Kim Yo-jong era a substituta mais provável para assumir a dinastia da família até que um dos filhos de Kim tivesse idade suficiente. Há algum tempo, ela ocupa um cargo importante no regime. 

Ela já chegou até mesmo a fazer ameaças à Coreia do Sul, como consequência das sanções aplicadas contra a Coreia do Norte. Mesmo sendo uma mulher no governo, com certeza, Kim Yo-jong não chama tanto a atenção quanto o aparecimento da filha de Kim.

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!