Notícias » Terra

Voluntários removem 3 toneladas de lixo e 4 cadáveres do topo do Monte Everest

Além das toneladas de lixo, a equipe também encontrou corpos de alpinistas que se aventuraram no ponto mais alto da Terra

Thiago Lincolins Publicado em 06/05/2019, às 15h40

None
- Crédito: Reprodução

Quando Edmund Hillary e Tenzing Norgay chegaram ao topo do Monte Everest em 1953, escalar a montanha se tornou um dos maiores desafios para os alpinistas ao redor do mundo. Um levantamento feito pela Fox News revelou que 5.200 pessoas tentaram repetir o feito. E como consequência, montanhas de lixo foram deixadas para trás.

Agora, voluntários estão reunindo esforços para remover o entulho que há tempos tira a beleza da montanha. Nas últimas duas semanas, a equipe conseguiu remover 3 toneladas de lixo do local.

O objetivo da campanha é remover 11 toneladas de detrito até o final da iniciativa. Entretanto, além de garrafas, sacolas e equipamentos descartados os voluntários terão que lidar com os cadáveres deixados no Everest.

Parte do lixo encontrado no topo da montanha / Crédito: Reprodução

 

As vítimas de tentativas mal sucedidas tiveram seus corpos abandonados no topo da montanha. "Por causa do aquecimento global, o manto de gelo e as geleiras estão derretendo rapidamente e os corpos que permaneceram enterrados durante todos esses anos estão sendo expostos", afirmou Ang Tshering Sherpa, ex-presidente da Associação de Montanhismo do Nepal em entrevista à BBC no mês passado.

O cadáver de Tsewang Paljor é um dos mais conhecidos da montanha / Crédito: Wikimedia Commons

 

Mais de 200 pessoas já morreram na montanha desde 1922, quando as primeiras mortes foram registradas. Para 2019, a previsão é que 775 pessoas arrisquem suas vidas durante a escalada — e deixem grandes quantidades de lixo no topo da montanha.