Busca
Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaYoutube Aventuras na HistóriaTiktok Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Matérias / Kenneth Smith

Kenneth Smith: O crime cometido pelo homem executado com método inédito

Após falha em execução por injeção letal, Kenneth Smith foi forçado a respirar nitrogênio puro. Afinal, qual crime ele cometeu para ter esse fim?

Fabio Previdelli

por Fabio Previdelli

fprevidelli_colab@caras.com.br

Publicado em 24/01/2024, às 18h54 - Atualizado em 26/01/2024, às 18h57

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Kenneth Smith, que será executado com método inédito - Dpto de Polícia
Kenneth Smith, que será executado com método inédito - Dpto de Polícia

Kenneth Smith, de 58 anos, foi executado no estado norte-americano do Alabama. O que chamou a atenção do caso é que o criminoso foi morto com um método inédito nos Estados Unidos: asfixia por gás nitrogênio

+ Náuseas e pânico: Os relatos do homem que será executado com método inédito;

Isso porque no dia 17 de novembro de 2022, Smith seria submetido a uma injeção letal, no entanto, uma falha no processo adiou sua morte. Assim, uma nova alternativa foi estipulada pelo juiz R. Austin Huffaker Jr., do Alabama, que negou recurso do réu para que a execução não fosse levada adiante.

No corredor da morte, Kenneth será submetido a uma técnica inédita, onde será forçado a respirar nitrogênio puro — o que afetará suas funções corporais em segundos. Mas, afinal, qual crime ele cometeu para ter esse fim? 

Imagem ilustrativa de um corredor de prisão - Unsplash

Crime sob encomenda

Para entender o caso, precisamos voltar para o ano de 1988. No dia 18 de março, o pastor Charles Sennett recrutou seu inquilino, Billy Gray Williams, para dar um fim em sua própria esposa: Elizabeth Sennett

Williams, por sua vez, contactou Kenneth Smith e John Forrest Parker para ajudá-lo. Os dois ficaram responsáveis por esfaquear Elizabeth até a morte. O crime ocorreu no condado de Colbert, no Alabama. 

Como relatou o The Huntsville Times, uma semana após o crime, Charles Sennett tirou a própria vida ao descobrir que era suspeito pela morte da esposa. Já Billy Gray, posteriormente, foi condenado à prisão perpétua sem liberdade condicional. Ele morreu na prisão em 2020 devido a uma doença não revelada. 

Os dois últimos criminosos teriam finais parecidos. Ainda segundo o veículo, Parker acabou executado por injeção letal em junho de 2010; enquanto Smith permaneceu no corredor da morte até sua execução ser marcada para 2022. 

A execução foi suspensa depois que a equipe de execução interrompeu o processo. Na ocasião, os profissionais não conseguiram conectar linhas intravenosas a Smith em tempo hábil antes do término do prazo da sentença emitida pela Suprema Corte do Alabama. Ou seja, Smith não chegou a sofrer a aplicação da injeção. 

Imagem ilustrativa/ Crédito: Freepik

Assim, explica o The Huntsville Times, Kenneth entrou em acordo com o estado para que sua execução não ocorresse mais com injeção letal; e sim através da hipóxia de nitrogênio — método inédito nos EUA. 

Detalhes do crime e julgamento

Uma matéria publicada pelo Alabama.com forneceu mais detalhes das tratativas entre o pastor Charles Sennett e seu inquilino Billy Gray Williams — que contratou Smith e Parker para ajudá-lo. Pelo crime, Charles pagaria mil dólares para cada um

Elizabeth Dorlene Sennett foi encontrada morta em 18 de março de 1988, em sua casa, no condado de Colbert, em um cenário descrito pelos investigadores como armado para parecer uma invasão de domicílio. 

Desta forma, na semana seguinte, o pastor foi chamado para interrogatório. Embora tenha negado envolvimento, ele ficou sem saída ao ser questionado se conhecia Kenneth Smith. Charles, então, se encontrou com seus filhos na igreja e confessou o crime. Ao deixar o local, ele entrou em sua caminhonete e se matou com um tiro.

Após ter seu julgamento alterado de Colbert para o condado de Jefferson, para evitar influência midiática sobre o caso, Kenneth Smith acabou considerado culpado pelo assassinato de Elizabeth Sennett por 10 votos a 2. No entanto, sua sentença à morte foi anulada após recurso. 

O caso foi reavaliado e apesar do júri recomendar sua prisão perpétua, o tribunal optou por sua execução, aponta a Business Insider; a mesma sentença foi estabelecida para John Forrest Parker, executado em 10 de junho de 2010. 

A tentativa de execução por injeção letal, que fracassou, aconteceu no dia 17 de novembro de 2022. Segundo o G1, na ocasião, Smith ficou amarrado por mais de uma hora em uma maca, sentindo dores físicas e psicológicas enquanto ocorria sua falha execução; o que teria lhe causado o desenvolvimento de um transtorno de estresse pós-traumático, segundo sua defesa. Agora, ele foi executado por hipóxia de nitrogênio.

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!