Curiosidades » Brasil

Capim dourado e comunidades quilombolas: o verdadeiro “ouro” do Jalapão

Graças aos seus pontos turísticos super ecológicos, a cidade vem ganhando cada vez mais fama entre os viajantes

Isabela Bisordi Publicado em 17/04/2020, às 12h00

Capim dourado do Jalapão
Capim dourado do Jalapão - Divulgação

Conhecido pelos seus cenários inesquecíveis de tirar o fôlego, a beleza natural do Jalapão, em Tocantins, é indiscutível. A região é um conjunto de cinco áreas de conservação de 34 mil km², repleta de cachoeiras, fervedouros, dunas e piscinas naturais com uma cor verde-esmeralda - daquele tipo que só vemos em filmes. No entanto, nem todos chegam a conhecer a história da população quilombola da área.

Localizada em Mateiros, a população quilombola Mumbuca é uma das mais famosas da região. Trata-se de uma comunidade de 46 famílias — com cerca de 100 pessoas no total —  descendentes de quilombolas e indígenas, que vivem em casas de tijolos de barro e seu trabalho é baseado, principalmente, em artesanato de capim dourado e agricultura. Há poucos anos, a comunidade ainda tinha problemas de energia elétrica. Hoje, mesmo com a tecnologia, continua com dificuldades como saneamento básico.

Jalapão, Tocantins / Crédito: Divulgação

 

O Mumbuca faz parte das doze comunidades quilombolas presentes no Jalapão, que recebem turistas durante o ano para uma espécie de “imersão” na vida dos nativos. Em setembro, por exemplo, acontece Festa da Colheita do Capim Dourado, que conta com diversas apresentações de dança, música e rodas de conversa.

Capim dourado: o tesouro do Jalapão

Há anos, a comunidade quilombola têm como principal fonte de renda a produção de artesanato com capim dourado e buritis. Passado de geração em geração e descoberto pelos índios no século XX, a planta de nome Syngonanthus nitens recebe esse “apelido” devido à sua semelhança com o ouro. Com ele, são produzidos itens como pulseiras, brincos, chaveiros, bolsas e peças de decoração.

Na verdade, o capim dourado não é um capim. Ele faz parte do grupo de plantas “sempre-vivas”, uma espécie bem resistente que, mesmo depois de colhida, precisa ser manuseada para mudar seu formato. Hoje em dia, graças à evolução do negócio, as peças produzidas pelos artesãos são cada vez mais sofisticadas.

Objetos feitos de capim dourado / Crédito: Divulgação

 

Considerado o verdadeiro tesouro do Jalapão, para evitar a sua extinção, o capim dourado é protegido por diversas leis, e pode ser colhido apenas de setembro - quando brilha ainda mais - até novembro, e somente as peças produzidas pela comunidade local podem ser comercializadas fora do Estado. 

Se você tem interesse em conhecer mais de perto a cidade e ter essa experiência imersiva, não deixe de conferir o site da Agaxtur com os melhores pacotes e preços para a sua viagem!