Notícias » Brasil

Após Bolsonaro relacionar vacina com AIDS, mãe de Cazuza se pronuncia: ‘É um retrocesso’

A fala de Lucinha Araújo foi divulgada recentemente por colunista

Redação Publicado em 27/10/2021, às 07h58

Lucinha Araújo, em entrevista no ano de 2014
Lucinha Araújo, em entrevista no ano de 2014 - Divulgação/Youtube/SBT

Recentemente, o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro (sem partido) usou as redes sociais para associar a vacina contra a Covid-19 com a AIDS.

Na ocasião, o governante afirmou que supostos estudos do Reino Unido teriam concluído que pessoas imunizadas estariam desenvolvendo AIDS “muito mais rápido do que o previsto”.

Em decorrência da fake news, a live de Bolsonaro foi retirada das redes sociais.

Na última terça-feira, 26, a jornalista Mônica Bergamo publicou em sua coluna no jornal Folha de São Paulo, a opinião de Lucinha Araújo, mãe de Cazuza, a respeito do assunto.

Segundo revelado na reportagem, a mãe do cantor — que faleceu em decorrência de complicações causadas pela AIDS, em 1990 — diz ter ficado “perplexa” com a fala “mentirosa” do político.

"É um retrocesso, não dá para acreditar que um presidente fale isso. Aids já até saiu de moda", afirma Lucinha, que por 30 anos coordenou a ONG Sociedade Viva Cazuza, auxiliando portadores do vírus HIV.

"Eu estou em Paris e encontrei o Gilberto Gil aqui e falamos sobre isso. É algo tão absurdo, que não merece nem o meu comentário”, finalizou Araújo, como revelou raportagem da Folha.