Notícias » Estados Unidos

bell hooks, renomada poeta e ativista, morre aos 69 anos

Conhecida por suas obras sobre feminismo, cultura, racismo e política, a autora faleceu nesta quarta-feira, 15

Pamela Malva Publicado em 15/12/2021, às 17h00

Fotografia da autora bell hooks
Fotografia da autora bell hooks - Alex Lozupone (Tduk)/ Creative Commons/ Wikimedia Commons

Em meados de 1978, Gloria Jean Watkins publicou seu primeiro livro de poesias sob o pseudônimo de bell hooks. Décadas mais tarde, após ter marcado seu nome na história da literatura mundial, a escritora e ativista faleceu nesta quarta-feira, 15, aos 69 anos.

No Twitter, a sobrinha da autora, Ebony Motley, afirmou que hooksjá estava doente há algum tempo. “A autora, professora, crítica e feminista fez sua transição cedo, de casa, rodeada de familiares e amigos”, narrou a parente, ainda no comunicado.

bell hooks — cujo nome em letras minúsculas foi escolhido em homenagem a sua avó — conquistou o mundo com seus mais de 40 livros. Tratando de temas como racismo, feminismo, cultura e política, suas obras foram publicadas em 15 idiomas diferentes.

Depois de anos frequentando escolas segregadas nos Estados Unidos, hooks formou-se na Universidade de Stanford e ainda completou um mestrado em inglês na Universidade de Wisconsin. Isso sem contar o doutorado em literatura — diploma garantido pela Universidade da Califórnia, em Santa Cruz.

Ao analisar os trabalhos de bell hooks, que já foram classificados como "a redefinição do feminismo", o renomado jornal The Washington Post afirmou que a autora conseguiu ampliar o movimento feminista de uma forma nunca antes vista — já que, até então, ele era bastante associado aos direitos das mulheres brancas.