Notícias » Entretenimento

Cassandra Peterson, eterna 'Elvira, Rainha das Trevas', relata ter sofrido abuso sexual

Atriz acusou atleta falecido em 1999 em novo livro

Isabela Barreiros, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 29/09/2021, às 10h25

A atriz Cassandra Peterson como Elvira
A atriz Cassandra Peterson como Elvira - Getty Images

A atriz Cassandra Peterson, mais conhecida por ter dado vida à protagonista de "Elvira: A Rainha das Trevas", um filme clássico estadunidense de 1988, quebrou um longo silêncio ao revelar uma experiência traumática no livro "Atenciosamente, Elvira: Memórias da Senhora das Trevas", lançado recentemente.

Peterson contou que foi abusada sexualmente pelo falecido atleta Wilt Chamberlain, lenda do basquete e também ex-amigo, no começo dos anos 1970 durante uma festa na mansão do astro, localizada em Bel Air, bairro nobre de Los Angeles, nos Estados Unidos. 

Ela relatou os detalhes daquela noite pela primeira vez agora aos 70 anos ao publicar a autobiografia, que conta com bastidores e lembranças sobre sua carreira. De acordo com a intérprete de ‘Elvira’, o episódio foi “chocante, embaraçoso e traumatizante.” 

No livro, a atriz escreve que tudo começou quando o atleta a convidou para "dar uma olhada em seu armário feito sob medida". No entanto, ao chegar no local, ele teria forçado a estrela ao sexo oral, segundo a revista People.

“Por que não tentei gritar, lutar ou fugir? Quando um homem de 2,10 metros e 150 quilos está com a mão enrolada em seu pescoço, não há realmente muito que você possa fazer”, ressaltou Peterson.

A artista disse ainda que apenas contou sobre o episódio ao seu ex-marido, Mark Pierson, antes da publicação do livro. No entanto, o movimento Me Too, que trouxe a tona uma série de denúncias contra o assédio sexual, fez com que ela decidisse falar sobre a experiência. 

“Deveria tê-lo denunciado à polícia? Você está de brincadeira? Que chance você pensa que uma ex-showgirl/atriz desempregada teria contra uma superestrela do esporte?”, relembrou. 

“Apenas mantive isso quieto e não disse nada por toda a minha vida,” declarou. "E o mais triste é que ele era um amigo. Ele foi um amigo por tantos anos que fez tudo parecer pior e mais assustador e como se eu fosse uma idiota."