Busca
Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaYoutube Aventuras na HistóriaTiktok Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Maria da Penha

Condenado por tentar matar Maria da Penha entra com pedido de revisão penal

Em 1983, Marco Antonio Heredia Viveros tentou por duas vezes matar sua esposa, Maria da Penha; o sujeito, porém, só foi condenado 19 anos depois

Fabio Previdelli

por Fabio Previdelli

fprevidelli_colab@caras.com.br

Publicado em 12/12/2023, às 10h15

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Marco Antonio Heredia Viveros, condenado por tentar matar Maria da Penha - Reprodução/Redes Sociais
Marco Antonio Heredia Viveros, condenado por tentar matar Maria da Penha - Reprodução/Redes Sociais

Condenado por tentar matar sua esposa, Maria da Penha, em 1983, Marco Antonio Heredia Viveros entrou na Justiça com um pedido de revisão criminal, segundo informado pela coluna de Rogério Gentile no UOL

A dupla tentativa de assassinato se tornou tão emblemática que Maria da Penha deu nome a uma lei federal, sancionada em 2006, que criou mecanismos para prevenir e coibir a violência doméstica. 

+ Onde nasce a resistência: A comovente história de Maria da Penha

Tentativa de homicídio 

Em 29 de maio de 1983, Maria da Penha foi surpreendida durante a madrugada ao acordar com um estrondo. Segundos depois, a mulher sentiu uma enorme dor nas costas. Ela havia sido baleada por Viveros

O tiro criou lesões irreversíveis nas vértebras da farmacêutica bioquímica, que ficou paraplégica após o episódio. Quatro meses depois, Marco Antonio orquestrou outra tentativa de matar a esposa ao quase eletrocutá-la enquanto tomava banho. 

Apesar da repercussão do caso, o homem só acabou preso 19 anos depois, em 2002, quando foi condenado a 8 anos e seis meses de prisão — pena já cumprida por Heredia Viveros.

Entretanto, revela Gentile, no final do mês passado, o sujeito entrou na Justiça do Ceará com um processo de produção de provas; onde tentará a revisão criminal de seu caso para que seja declarado que sua condenação foi injusta. 

Além de alegar que o inquérito possui diversas irregularidades processuais, Marco Antonio também aponta que houve manipulações de provas contra sua pessoa, relata o colunista.

Viveros também diz que jamais agrediu Maria da Penha, e que a ex-companheira foi baleada em uma tentativa de assalto — versão defendida por ele há anos que já foi rejeitada pela polícia em dois julgamentos. 

Por fim, vale ressaltar que o pedido aberto por Marco Antonio Heredia Viveros ainda não foi analisado pela Justiça. Em 2008, o sujeito já havia tentado o processo de revisão criminal, que acabou rejeitado pelo órgão. 

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!