Busca
Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaYoutube Aventuras na HistóriaTiktok Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Crimes

Crimes cometidos com 16 anos de diferença são solucionados após décadas

Sherrie Bridgewater foi morta em 1991, em Las Vegas; já Teree Becker foi assassinada em 1975, no Colorado. Casos só foram solucionados recentemente

Fabio Previdelli

por Fabio Previdelli

fprevidelli_colab@caras.com.br

Publicado em 01/02/2024, às 15h36

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Sherrie Bridgewater e Teree Becker foram mortas com 16 anos de diferença - Las Vegas Metropolitan Police
Sherrie Bridgewater e Teree Becker foram mortas com 16 anos de diferença - Las Vegas Metropolitan Police

Na última quarta-feira, 31, autoridades do estado norte-americano de Nevada anunciaram a resolução de dois casos arquivados. Os dois crimes foram cometidos em Las Vegas, no próprio estado, e em Westminster, Colorado. Os casos possuem uma diferença de quase 16 anos

+ Como foi o 'crime do poço', que chocou os brasileiros

Em maio de 1991, a Polícia Metropolitana de Las Vegas concedeu uma entrevista coletiva para responder os relatos de uma morte suspeita ocorrida em um apartamento no quarteirão 1000 da Avenida Monroe. Na ocasião, uma amiga e um parente encontraram Sherrie Bridgewater, de 31 anos, morta no local. 

Uma autópsia revelou que Bridgewater foi abusada sexualmente e assassinada por estrangulamento. Embora a equipe de homicídios tenha trabalhado “incansavelmente”, o caso permaneceu sem solução. 

Anos depois, em 2013, o departamento de polícia conseguiu traçar um perfil do suspeito por meio de um exame de DNA. Ao inserir as informações em um banco de dados, o caso surpreendentemente foi ligado a outro assassinato não resolvido, cometido em dezembro de 1975, no Colorado, apontou o NY Post. 

Esforços compartilhados

Em um trabalho conjunto entre o Departamento de Polícia de Las Vegas e o de Westminster, descobriu-se um crime cometido contra Teree Becker, que foi encontrada morta em um campo. A vítima foi abusada sexualmente e sofreu estrangulamento, assim como Sherrie.

Apesar dos relatos semelhantes, ainda não existia tecnologia o suficiente para identificar o suspeito. Em 2018, porém, duas agências trabalharam para submeter os casos à genealogia forense. Quatro anos depois, um suspeito foi identificado: Thomas Martin Elliott.

Uma apuração do caso colocou Thomas no Colorado no mesmo período em que Becker foi morta e em Nevada quando Bridgewater foi assassinada. Mas ainda faltava os 100% de confirmação; o que só ocorreu quando o corpo de Elliott foi exumado em outubro de 2023. “Os resultados coincidiram totalmente”, disse a polícia.

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!