Matérias » Brasil

Crime do Poço: antes da tragédia do Edifício Joelma, local que abrigava o prédio foi alvo de um brutal assassinato

O caso, que ocorreu em 1948, é lembrado pela população paulista como um dos mais hediondos crimes já ocorridos na cidade

Caio Tortamano Publicado em 02/02/2020, às 08h00

Imagem meramente ilustrativa de um poço
Imagem meramente ilustrativa de um poço - Getty Images

Em 1948, três mulheres haviam sumido. Eram Benedita Ferreira de Camargo, de 56 anos, e as suas filhas Maria Antonieta, 23 anos, e Cordélia, 19 anos. Depois de uma viagem ao Paraná com o filho e irmão Paulo Ferreira de Camargo, de 26 anos, apenas o rapaz teria supostamente sobrevivido a um acidente de carro.

A morte foi comunicada aos parentes e amigos por Paulo, mas a história não foi aceita pela família, que desconfiava de algo nas declarações do sobrevivente, uma vez que não houve enterro nem qualquer outra cerimônia.

A suspeita foi denunciada para a polícia, que passou a investigar a vida de Camargo. Para a surpresa dos investigadores, foi revelado que Paulo havia construído um poço em seu quintal para montar uma fábrica de adubo. Todavia, a explicação superficial não convenceu as autoridades.

Isso porque o rapaz era químico e professor assistente na Universidade de São Paulo, onde também era conhecido por ter um comportamento estranho. O Dr. Hoffman, que trabalhava no laboratório da universidade e era auxiliado por Paulo, comentou que o jovem fazia algumas perguntas inquietantes de tempos em tempos. Certeza vez, ele perguntou quais seriam os melhores elementos para corroer um cadáver.

A partir disso, já era quase certo que a mãe e irmãs do homem não haviam morrido em um acidente. Assim, a polícia pediu que Paulo mostrasse o poço novamente, ao que, a primeira vista, não apresentava nenhuma irregularidade.

No entanto, os bombeiros foram chamados para escavar a cavidade e se depararam com uma cena trágica: três cadáveres de cabeça para baixo, com braços amarrados e cabeças cobertas com um pano estavam escondidos no local. Paulo, que percebeu não ter mais nenhuma escapatória, pegou uma arma dentro de casa e se suicidou na mesma hora, ainda com os policiais no quintal.

O que motivou o assassinato nunca foi esclarecido, até porque, não houve tempo para que Paulo desse qualquer explicação. Existem duas principais teorias que explicariam as horríveis mortes das vítimas: a primeira indica que a sua relação com uma conhecida da família não era bem vista, pela mulher não ser mais virgem.

Outras pessoas dizem que as mortes foram de ordem misericordiosa, uma vez que a irmã de Paulo, Maria Antonieta, sofria de epilepsia e era paralítica. Sua irmã mais nova, Cordélia, era esquizofrênica e sua mãe estaria com câncer na perna. Entretanto, nenhuma das patologias foi confirmada nas investigações futuras.

A casa da família Camargo ficava na Rua Santo Antônio, número 104. Anos depois, o local daria lugar ao infame edifício Joelma, palco de um terrível incêndio no centro de São Paulo, vitimando 191 pessoas e deixando outras 300 feridas.

Terrível incêndio do edifício Joelma / Crédito: Wikimedia Commons

 

O local coleciona histórias tristes e macabras. Antes mesmo de ser a casa dos Camargo, no mesmo lugar havia um pelourinho, utilizado para castigar fisicamente escravos.


+Saiba mais sobre outros crimes através das obras abaixo

Famigerado!: a História de Luz Vermelha, o Bandido que Aterrorizou São Paulo nos Anos de 1960, Gonçalo Junior, 2019 - https://amzn.to/2JLfeGQ

Arquivos Serial Killers. Made in Brazil e Louco ou Cruel, de Ilana Casoy (2017)  - https://amzn.to/2IUCmST

Casos de Família: Arquivos Richthofen e Arquivos Nardoni: Abra os arquivos policiais, de Ilana Casoy (2016)  - https://amzn.to/2ppHCXA

O pior dos crimes: A história do assassinato de Isabella Nardoni, de Rogério Pagnan (2018) - https://amzn.to/35CT56O

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, assinantes Amazon Prime recebem os produtos com mais rapidez e frete grátis, e a revista Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.