Busca
Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaYoutube Aventuras na HistóriaTiktok Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Garrafa

Garrafa de lote comemorativo da copa de 1998 é encontrada na Baía de Guanabara

A garrafa foi encontrada por pescadores na semana passada

por Giovanna Gomes

ggomes@caras.com.br

Publicado em 23/10/2023, às 11h53

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Garrafa encontrada na Baía de Guanabara - Divulgação/TV Globo
Garrafa encontrada na Baía de Guanabara - Divulgação/TV Globo

Um grupo de pescadores de São Gonçalo, Região Metropolitana do Rio de Janeiro, encontrou na Baía de Guanabara uma garrafa de Coca-Cola de 2 litros produzida há 25 anos. A garrafa, que embora vazia estava intacta, fazia parte de um lote comemorativo da Copa do Mundo de 1998, com caricaturas dos jogadores.

Segundo informações do portal de notícias G1, essa "relíquia" foi recolhida manualmente na areia de uma das praias locais.

Estudos da Fiocruz indicam que garrafas plásticas desse tipo levam 450 anos para se decompor no ambiente, enquanto tampinhas têm um "tempo de vida" menor, de 150 anos; latas de alumínio de 200 a 500 anos, e o vidro resiste por cerca de 1 milhão de anos até se decompor completamente.

Toneladas de resíduos

O portal de notícias destaca que colônias de pescadores na Baixada Fluminense e em São Gonçalo realizam trabalhos de limpeza em rios e canais, tendo retirado mais de 150 toneladas de resíduos sólidos desde fevereiro. A iniciativa faz parte do programa Águas da Guanabara, cujo objetivo é quantificar e qualificar os resíduos sólidos, medindo os impactos na fauna e flora da Baía de Guanabara.

Um estudo da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan) mostrou que o estado descartou mais de R$ 2 bilhões em resíduos recicláveis em 2021, sendo que mais de 2 milhões de toneladas de resíduos sólidos pós-consumo com potencial de reciclagem foram parar em aterros.

A fonte ressalta que a recuperação desses resíduos não aproveitados teria um impacto significativo na economia, podendo gerar investimentos adicionais de cerca de R$ 4,74 bilhões e a criação de 31,9 mil empregos, diretos e indiretos.

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!