Busca
Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaYoutube Aventuras na HistóriaTiktok Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Assédio

Harvey Weinstein: Novo processo de assédio sexual é aberto contra magnata do cinema

O dono da produtora The Weinstein Company, responsável por filmes conhecidos no cinema mundial, teria abusado sexualmente de uma mulher em 2013

Redação Publicado em 20/12/2023, às 19h55

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Harvey Weinstein, ex-produtor de cinema - Getty Images
Harvey Weinstein, ex-produtor de cinema - Getty Images

Após um ano desde o julgamento inconclusivo contra Harvey Weinstein, acusado por uma mulher — que não teve o nome revelado — de tê-la agredido sexualmente em um quatro de hotel, ela abriu uma nova ação contra o ex-executivo do cinema. 

A mulher, que depôs em um tribunal de Nova York contra o magnata de Hollywood, iniciou o novo processo judicial em Los Angeles. É importante ressaltar que tanto Weinstein quanto sua empresa, The Weinstein Company, são protagonistas em processos de negligência, agressão, agressão sexual e responsabilidade indireta.

Ela alega ter conhecido o empresário em 19 de fevereiro de 2013, graças a uma mulher chamada Claudia Salinas, que estava com ele no Montage Hotel, para conversar sobre um roteiro e discutir futuras oportunidades de atuação. Segundo a mulher, Weinstein e Salinas a teriam prendido em um banheiro de uma suíte. 

O abuso

Weinstein abriu a porta do chuveiro bloqueando a porta de saída, tirou a roupa e se enxaguou levemente no chuveiro. Weinstein então agarrou com força o seio da reclamante e se masturbou. Na época, o corpo da reclamante estava preso na área da pia.”, diz o documento judicial, que também aponta que a vítima teria dito “não” repetidas vezes.

A demandante continuou com medo de que o réu a machucasse ainda mais. O réu Weinstein enfiou a mão sob as roupas da demandante e tentou tocar por baixo de sua calcinha e penetrar manualmente na vagina da demandante”, continuou o relatório do processo.

Conforme repercutido pelo site da revista Rolling Stone Brasil, o documento conclui ao afirmar que Weinstein “voltou a apalpar com força o seio do demandante até que ele ejaculou em uma toalha no chão”. Seu advogado, Alan Jackson, não se manifestou sobre o novo processo.

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!