Busca
Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaYoutube Aventuras na HistóriaTiktok Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Nêgo Bispo

Morre aos 63 anos Nêgo Bispo, importante pensador quilombola, no Piauí

Antônio Bispo dos Santos, mais conhecido como Nêgo Bispo, foi um filósofo, poeta, escritor, professor, ativista político e pensador quilombola

Redação Publicado em 04/12/2023, às 11h16

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
O pensador quilombola Antônio Bispo dos Santos, mais conhecido como Nêgo Bispo - Reprodução/Vídeo/YouTube/@DIALOGOSCOMOSPOVOS
O pensador quilombola Antônio Bispo dos Santos, mais conhecido como Nêgo Bispo - Reprodução/Vídeo/YouTube/@DIALOGOSCOMOSPOVOS

No último domingo, 3, morreu no Piauí o importante pensador quilombolaAntônio Bispo dos Santos, mais conhecido como Nêgo Bispo. Importante figura em movimentos sociais e organizações de defesa dos quilombolas. Ele foi também filósofo, poeta, escritor, professor e ativista político.

Nêgo Bispo nasceu no dia 12 de dezembro de 1959, no vale do Rio Berlengas, região do município de Francinópolis, no Piauí. No entanto, viveu grande parte de sua vida no Quilombo Saco-Curtume, em São João do Piauí, mesma cidade onde moreu nesta semana, pouco antes de completar 64 anos.

+ Zumbi dos Palmares: Há 324 anos morria o símbolo da luta abolicionista do Brasil

De acordo com o g1, Bispo estava no Hospital de São João do Piauí neste domingo quando faleceu, em decorrência de uma parada cardiorrespiratória. Nas últimas semanas, ele vinha sofrendo com uma série de desmaios; no dia de sua morte teve mais um episódio, ao passo que foi levado à instituição hospitalar, onde morreu.

Figura lembrada

Em sua carreira, Bispo publicou três livros e outras dezenas de artigos relacionados à história de luta do povo negro. Além disso, foi ele quem cunhou o conceito de "contra-colonialismo", um reforço da cultura, práticas, organização social e todas as manifestações coletivas de povos colonizados contra os costumes impostos pelos colonizadores.

+ Sítio arqueológico ligado a quilombolas é encontrado em obra do Metrô de SP

Após a morte de Bispo, a Coordenação Nacional de Articulação dos Quilombos (Conaq) alegou que a contribuição do homem será lembrada e reverenciada por gerações. Vale lembrar ainda que ele também atuou, em sua vida, na Coordenação Estadual das Comunidades Quilombolas do Piauí (CECOQ/PI) e também na Coordenação Nacional de Articulação das Comunidades Negras Rurais Quilombolas.

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!