Busca
Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaYoutube Aventuras na HistóriaTiktok Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Avião

Nos Estados Unidos, porta que se soltou de avião em decolagem é encontrada

Durante a decolagem de avião, a porta da aeronave se soltou e uma investigação foi montada para encontrá-la; local em que foi encontrada é revelado!

Isabelly de Lima Publicado em 08/01/2024, às 10h48

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Porta de avião solta durante decolagem de voo - Reprodução/X/@Kyrinker
Porta de avião solta durante decolagem de voo - Reprodução/X/@Kyrinker

O Conselho Nacional de Segurança nos Transportes dos Estados Unidos (NTSB) informou no domingo, 7, que encontrou a "peça-chave que faltava" do jato Boeing 737 MAX-9 da Alaska Airlines, envolvido em um pouso de emergência, no quintal de uma casa nos subúrbios.

A porta do lado esquerdo do avião da Alaska Airlines foi arrancada durante a decolagem de Portland, Oregon, na última sexta-feira, 5, obrigando os pilotos a retornarem e a realizarem um pouso de emergência com 171 passageiros e seis tripulantes a bordo, segundo a CNN Brasil.

A Administração Federal de Aviação (FAA) dos EUA emitiu, no sábado, uma ordem para aterrissar temporariamente 171 jatos Boeing MAX-9 que compartilham o mesmo painel, pesando aproximadamente 27 kg, cobrindo uma porta de saída opcional frequentemente utilizada por companhias aéreas de baixo custo.

A peça ausente foi recuperada no domingo, no quintal de um residente de Portland conhecido como "Bob", tranquilizando Jennifer Homendy, presidente do NTSB. Ela destacou que esta peça é um "componente-chave" para compreender as circunstâncias do acidente.

Nossa equipe de estruturas vai querer olhar tudo na porta — todos os componentes da porta para ver as marcas, ver qualquer transferência de tinta, qual o formato da porta quando foi encontrada. Isso pode dizer a eles um muito sobre o que aconteceu”, disse ela.

Casos anteriores

A força da perda da porta durante o voo foi suficiente para causar a explosão da peça da cabine, uma experiência "aterrorizante" para os pilotos, conforme relatado por Homendy. Ela ressaltou que a comunicação foi prejudicada, descrevendo a situação como um "caos".

Homendy também observou que o gravador de voz da cabine não capturou dados relevantes, pois foi sobrescrito. Ela renovou seu apelo à modernização dos aviões, solicitando gravadores capazes de armazenar 25 horas de dados, um aumento em relação às duas horas atualmente exigidas.

Sobre os incidentes anteriores com luzes de alerta, Homendy informou que a luz de falha de pressurização automática acendeu na mesma aeronave em datas anteriores. No entanto, ainda não está claro se há alguma conexão com o acidente.

A Alaska Airlines decidiu restringir a aeronave de voos longos sobre a água após esses avisos, visando garantir um retorno rápido a um aeroporto, se necessário. A companhia afirmou que as alterações no sistema de pressurização são comuns em operações de aviação comercial e que possui políticas internas relacionadas à manutenção em voos específicos.

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!