Notícias » Europa

Olaf Scholz quer lutar contra 'minoria de extremistas' antivacinas

O novo chanceler alemão se pronunciou sobre os militantes nesta quarta-feira, 15

Paola Orlovas, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 15/12/2021, às 15h10

Olaf Scholz nesta quarta-feira, 15
Olaf Scholz nesta quarta-feira, 15 - Getty Images

Olaf Scholz, o novo chanceler alemão, disse, nesta quarta-feira, 15, que irá mobilizar os recursos do governo do país para batalhar a "minoria de extremistas" antivacinas, depois de manifestações e um governante ter recebido ameaças de morte de membros do movimento.

O chanceler, que tomou o lugar de Angela Merkel na semana passada, lamentou a situação em discurso para o Parlamento alemão, destacando que se trata de um número pequeno de negacionistas que está criando desafios para seu governo. 

Sejamos claros: uma pequena minoria em nosso país se afastou de nossa sociedade, de nossa democracia, de nossa comunidade e de nosso Estado, e não apenas da ciência, da racionalidade e da razão", disse Scholz.

Segundo a AFP, a mobilização do governo alemão se fortaleceu depois que o ministro-presidente da Saxônia, região localizada no leste da Alemanha, recebeu ameaças de morte nesta quarta-feira, 15. A polícia alemã e a Justiça do país se envolverão em investigações de grupos antivacinas dentro do Telegram.

O movimento se dá principalmente na região, que antes pertencia a Alemanha Oriental e hoje é uma das partes mais afetadas pelo coronavírus dentro do país, contando com uma taxa de vacinação menor do que a média nacional.