Notícias » Arqueologia

Pesquisadores reconstroem rostos de ‘Tutancâmon siberiano e ‘Rainha’ de 2.600 anos

A impressionante tumba do casal, descoberta em 1997, conta com os mais ricos artefatos feitos de ouro, totalizando ao menos 20 quilos do material

Isabela Barreiros Publicado em 13/01/2021, às 07h00

Reconstruções faciais e alguns dos artefatos descobertos na tumba
Reconstruções faciais e alguns dos artefatos descobertos na tumba - Divulgação - Elizaveta Veselovskaya / Ravil Galeev

Em 1997, pesquisadores descobriram um enterro que continha um enorme tesouro de artefatos, com muitos feitos de ouro, e inúmeros esqueletos, incluindo os de duas pessoas aparentemente importantes no passado da Rússia. Nomeada de Arzhan-2, a tumba foi muito estudada e seus objetos identificados.

Uma pesquisa mais recente, publicada na revista acadêmica Journal of Archaeology, Anthropology and Ethnography, revelou pela primeira vez a face dessas duas pessoas, conhecidas como “Tutancâmonsiberiano” e sua “Rainha”. Feitas com modelos 3D dos crânios, agora é possível ver como eles provavelmente eram.

Reconstrução facial do rei / Crédito: Divulgação - Elizaveta Veselovskaya / Ravil Galeev

 

O Instituto de Etnologia e Antropologia de Moscou Miklukho-Maklai e o Instituto de Arqueologia de Novosibirsk e Etnografia foram os principais responsáveis pelo projeto, que se mostrou mais complicado do que eles imaginavam. Os crânios não estavam bem preservados, causando enormes dificuldades no processo.

“O trabalho de restauração mais demorado foi feito para o crânio do ‘czar'. Apenas metade do crânio foi preservado, o que tornou a tarefa muito mais complicada. A restauração da área do cérebro não foi particularmente difícil, já que a metade restante tornou possível espelhar a parte destruída”, escreveram os arqueólogos Elizaveta Veselovskaya e Ravil Galeev no artigo.

Reconstrução facial da rainha / Crédito: Divulgação - Elizaveta Veselovskaya / Ravil Galeev

 

Os dois esqueletos foram encontrados vestindo roupas incrustadas de ouro, com cerca de 300 peças decorativas feitas do mesmo material. Brincos, pingentes, contas e os mais variados artefatos estavam na tumba, confirmando a importância do casal. Estima-se que o local contava com pelo menos 20 quilos de ouro no total. 

Alguns artefatos descobertos na tumba / Crédito: Divulgação - Elizaveta Veselovskaya / Ravil Galeev

 

“À nossa frente está um guerreiro cita endurecido pela batalha, carregando em sua aparência uma combinação única de traços caucasóides e mongolóides”, explicaram os especialistas. Já a mulher pode ter sido sua rainha ou sua concubina favorita, sacrificada assim que o rei faleceu junto de mais 33 pessoas. Ao menos cinco dos esqueletos encontrados eram de seus filhos.