Notícias » Família Real Britânica

Príncipe William sinaliza apoio a países caribenhos que quiserem romper com monarquia britânica

Neto da rainha Elizabeth II sugeriu que família real apoiaria com ‘orgulho e respeito’ qualquer decisão das nações de se tornarem repúblicas

Redação Publicado em 26/03/2022, às 10h52

Príncipe William em novembro de 2021
Príncipe William em novembro de 2021 - Getty Images

O príncipe William sinalizou o apoio da família real britânica aos países do caribe que quiserem romper com a monarquia a partir da decisão de se tornarem repúblicas, seguindo os passos de Barbados, que teve sua primeira eleição presidencial no ano passado.

O duque de Cambridge sugeriu que o Reino Unido apoiaria com “orgulho e respeito” qualquer decisão da Jamaica, Belize e Bahamas de se desvencilhar da realeza do país a partir do afastamento da rainha Elizabeth II como soberana das regiões.

A fala ocorre em meio ao fim da turnê do Jubileu de Diamante do reinado de Elizabeth II, que completou 70 anos no trono em 2022. Junto à esposa, Kate Middleton, os dois vêm enfrentando uma série de protestos durante a passagem controversa.

Enquanto discursava em uma recepção em Nassau, capital das Bahamas, o príncipe afirmou ainda que as relações entre os países e a família real estão mudando. “As relações evoluem. A amizade perdura”, destacou.

“No próximo ano, eu sei que todos vocês estão ansiosos para comemorar 50 anos de independência — seu aniversário de ouro. E com a Jamaica comemorando 60 anos de independência este ano e Belize comemorando 40 anos de independência no ano passado, quero dizer o seguinte: apoiamos com orgulho e respeitamos suas decisões sobre seu futuro”, declarou.

Como reportou o jornal britânico The Guardian, é possível que o comentário seja uma sinalização de que a mudança já está acontecendo, especialmente com o que o primeiro-ministro da Jamaica, Andrew Holness, afirmou na última quarta-feira, 23, ao receber os duques.

O político jamaicano afirmou que o país “seguindo em frente” e pretende “cumprir nossas verdadeiras ambições e destino como um país independente, desenvolvido e próspero”.