Notícias » África

Raro diamante azul de 20 quilates é encontrado em Botswana

Formado por traços do mineral boro, ele surgiu entre 1 bilhão e 3 bilhões de anos atrás

Letícia Yazbek Publicado em 22/04/2019, às 14h24

None
Divulgação / Okavango Diamond Company

A companhia governamental de Botswana Okavango Diamond Company (ODC) revelou a descoberta de um diamante azul arredondado de 20,46 quilates. Ele é o maior dessa coloração já descoberto no país.

O cristal foi encontrado na mina de Orapa, no leste de Botswana, considerada a exploração de diamantes mais extensa do mundo. Ele foi formado entre 1 bilhão e 3 bilhões de anos atrás.

A descoberta foi batizada de The Okavango Blue, em homenagem ao Delta do Okavango, uma das paisagens mais famosas do país, reconhecida como Patrimônio Mundial pela UNESCO.

“Desde o primeiro momento em que vimos o diamante, estava claro que tínhamos algo muito especial. Todo mundo que viu o diamante polido ficou maravilhado por sua cor única", afirmou Marcus ter Haar, diretor de operações da Okavango Diamond Company.”

Segundo ele, a coloração do diamante vai além de qualquer outra pedra preciosa azul já encontrada. “É incrivelmente incomum que uma pedra dessa cor e natureza venha de Botswana, é um achado único na vida”.

Os diamantes azulados são formados por traços de um mineral pouco frequente, o boro, que substituem os átomos de carbono na composição da pedra. Quanto maior a quantidade desse mineral, mais vibrante é a tonalidade de azul.

A Botswana é o segundo maior produtor de diamantes do mundo, atrás apenas da Rússia. De acordo com Marcus ter Haar, o The Okavango Blue será vendido em 2020, após passar por uma exibição. Ainda não há valor definido para a venda.