Busca
Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaYoutube Aventuras na HistóriaTiktok Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / STF

STF liberta 130 presos por atos antidemocráticos em Brasília

As pessoas que foram soltas estão sendo monitoradas com tornozeleira eletrônica, estando sob uma série de restrições

Redação Publicado em 13/03/2023, às 13h56 - Atualizado às 14h51

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Alexandre de Moraes, ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) - Getty Images
Alexandre de Moraes, ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) - Getty Images

Nesta segunda-feira, 13, o ministro do Supremo Tribunal Federal, Alexandre de Moraes, determinou a soltura de mais de 130 presos denunciados pelos atos antidemocráticos do dia 8 de janeiro contra as sedes dos Três Poderes em Brasília.

Segundo o portal G1, dos 1,4 mil presos depois das audiências de custódia, 1 mil foram liberados e outros 392 permanecem na prisão. 

Conforme comunicado, os soltos estão sendo monitorados com tornozeleira eletrônica e precisarão cumprir restrições, como proibição do uso de redes sociais e permanência domiciliar noturna. Além disso, a Procuradoria-Geral da República (PGR) informou que os investigados possuem denúncias por delitos e associação criminosa

Atos antidemocráticos 

No dia dos ataques em Brasília, os terroristas, como definiu Moraes em uma publicação no seu Twitter oficial, quebraram vidraças, móveis, objetos históricos (como o relógio de Dom João VI), e obras de arte. Seus alvos foram o Congresso Nacional, Supremo Tribunal Federal (STF) e o Palácio do Planalto

Posteriormente, as autoridades iniciaram a operação "Lesa Pátria", com o objetivo de investigar os responsáveis e envolvidos nos ataques. O ministro do STF considerou:

Os desprezíveis ataques terroristas à Democracia e às Instituições Republicanas serão responsabilizados, assim como os financiadores, instigadores, anteriores e atuais agentes públicos que continuam na ilícita conduta dos atos antidemocráticos".

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!