Matérias » Curiosidades

Comida direto do lixo: Relembre um dos mais extremos casos de ‘Muquiranas'

A história da americana Kay Hashimoto surpreendeu os espectadores pela radical economia de cerca de US$ 4 mil por mês

Redação Publicado em 05/03/2022, às 08h00

A 'muquirana' Kay Hashimoto
A 'muquirana' Kay Hashimoto - Divulgação/Youtube/TLC

O programa televisivo da emissora americana TLC “Extreme Cheapskates”, transmitido no Brasil como “Muquiranas”, se tornou um enorme sucesso quando foi lançado em 2012, permanecendo no ar ao longo de três temporadas, até 2014.

Ao longo desses anos, os espectadores conheceram histórias bizarras de pessoas que são “mãos de vaca” ao extremo. Para economizar dinheiro, muitos desses americanos iam até o limite do que poderia ser considerado ético no ponto de vista mais comum.

Um dos casos que se tornou mais conhecido entre os brasileiros, que puderam assistir ao reality show a partir da transmissão do canal da Discovery Brasil, foi o da contadora Kay Hashimoto, que vivia em Harlem, em Nova York, quando gravou para “Muquiranas”.

Desemprego na mente

Kay Hashimoto / Crédito: Divulgação/Youtube/TLC

"Eu sempre fui econômica, mas cheguei ao extremo depois que fui demitida do meu emprego quando houve o estouro da bolha das empresas pontocom", contou Kay Hashimoto em entrevista ao jornal New York Post depois do sucesso no programa.

Depois de ficar um período sem emprego, decidiu que viveria como se fosse ficar desempregada a qualquer momento. No entanto, não apenas por algum período, para fazer algumas economias — isso seria para sempre.

A ideia dela seria buscar algum tipo de segurança financeira enquanto economiza ao extremo, como se sempre estivesse passando por alguma necessidade, o que a faz sempre guardar bastante dinheiro.

Como reportou a revista Época Negócios com informações do reality show, Hashimoto já foi capaz de economizar cerca de US$ 4 mil por mês, o equivalente a aproximadamente R$ 20 mil, segundo a cotação atual.

Para isso, porém, são exigidas ações que podem despertar desgosto e dúvidas sobre a real necessidade da americana já ter feito isso e também ter chamado atenção entre os telespectadores. Além, claro, de se muitas de suas práticas podem ser consideradas saudáveis.

Comida no lixo e sem papel higiênico

Kay Hashimoto / Crédito: Divulgação/Youtube/TLC

Se você pensou em anotar as dicas para economizar o valor extremo que Hashimoto, talvez pode repensar essa escolha. Isso porque, ao mês, ela já chegou a gastar US$ 15 em alimentação, por exemplo. O restante ela encontra simplesmente no lixo.

Segundo a americana, o segredo está em encontrar produtos bons nos lixos de estabelecimentos comerciais de bairros nobres, a exemplo do Upper West Side. Ela explica: "Os consumidores das áreas ricas esperam que todos os seus produtos sejam perfeitos, então as lojas acabam jogando fora itens que ainda estão bons para consumo”.

Além de mal comprar comida, ela também se recusou a gastar dinheiro com papel higiênico, usando sabão para lavar as partes íntimas depois de usar o banheiro. "Eu não acredito que seja válido gastar dinheiro com algo que depois você simplesmente vai jogar fora, como papel higiênico", contou durante o programa.

Outras técnicas usadas por ela para economizar são correr para o trabalho em vez de ir de metrô, cortar o próprio cabelo, responder pesquisas online para ganhar vale-presentes, testar produtos para ganhar amostras grátis, participar de testes de novos medicamentos e lavar roupas enquanto toma banho.

No episódio do programa da TCL chama atenção o fato de que ao receber dois colegas em casa, a mulher serve a comida retirada do lixo para o jantar. Ao descobrirem o fato, os conhecidos se surpreendem com a colega.

Hashimoto relatou com detalhes seus gastos totais por mês ao “Muquiranas”: fora os US$ 15 para alimentação, há US$ 0,17 para pasta de dentes, US$ 237 para o condomínio e US$ 1 mil que está indo para um financiamento. No entanto, os US$ 4 mil restantes sempre vão para a poupança.