Busca
Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaYoutube Aventuras na HistóriaTiktok Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Matérias / Leshy

Leshy, o espírito protetor das florestas do folclore eslavo

Guardião das florestas na cultura eslava, Leshy é conhecido nas lendas por pregar peças em quem entre em seus bosques e até mesmo sequestrar bebês; conheça!

Éric Moreira Publicado em 21/01/2024, às 12h00

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Ilustração representando Leshy, o espírito da floresta no folclore eslavo - Domínio Público via Wikimedia Commons
Ilustração representando Leshy, o espírito da floresta no folclore eslavo - Domínio Público via Wikimedia Commons

Ao longo da História, inúmeras nações e culturas ocuparam os mais variados locais no globo, o que influenciou não só na forma como esses grupos se organizam e comportam, como também nos idiomas, dialetos e nas crenças místicas.

Um dos folclores mais ricos e populares até hoje, é o eslavo. As antigas lendas das regiões ao norte da Europa, onde hoje existem Polônia, Rússia, Ucrânia, Letônia e Lituânia, entre outros países, contam com deuses e deusas bastante interessantes, como Dažbog, Jarilo, Lada, Rod e Perun. Isso sem mencionar as criaturas como os Rozhanitsy e a assustadora Baba Yaga.

Outro ser não mencionado que, durante séculos, foi bastante temido pelos eslavos é Leshy. Protetor das florestas (figura comum a várias culturas), ele pode se apresentar de várias maneiras distintas, além de ser capaz das façanhas das mais variadas, desde pregar simples pegadinhas em viajantes que se perdem em suas florestas, até mesmo punir gravemente aqueles que o desrespeitarem.

Segundo o All That's Interesting, aqueles que entram nas terras de Leshy — qualquer floresta — mas as respeitam, são geralmente poupados de sua ira. No entanto, quem entra nos bosques procurando causar algum tipo de dano, desde cortar árvores até caçar animais sem a permissão da entidade, podem acabar se deparando com circunstâncias pouco favoráveis.

+ A história por trás da lenda de Pã, o deus dos bosques;

Ilustração completa representando o Leshy / Crédito: Domínio Público via Wikimedia Commons

O velho na floresta

Espírito da floresta, Leshy pode assumir várias formas — um cogumelo, um tronco, um seixo ou até mesmo um animal —, ou simplesmente atuar sem dar as caras, invisível. Frequentemente, ele é descrito como um velho barbudo sem sobrancelhas, cílios e orelha direita, no entanto, sua aparência pode ser qualquer uma.

De acordo com a PBS, a imprecisão na descrição da aparência de Leshy também se deve ao fato de a tradição eslava ter sido amplamente disseminada oralmente, antes de começar a ser registrada por escrito. Assim, diferentes versões podem trazer Leshy como um metamorfo da floresta, ou um homem idoso que não deve tomar muitos banhos.

Algumas versões dizem que ele possui um rosto enrugado com uma barba verde emaranhada e coberta de musgo, além de ter o sangue azul e uma pele que parece composta por cascas de árvores. Também pode ser tão alto quanto uma árvore; em outras, menor que uma formiga.

Antiga ilustração com uma criança vagando na floresta, com o Leshy ao fundo / Crédito: Domínio Público via Wikimedia Commons

Representações

Devido à grande extensão da cultura eslava no globo, existem inúmeras histórias sobre o Leshy e seus feitos. Além disso, também existem vários nomes associados à criatura: Borovoi, Gayevoi, Leshak, Lesnik, Lesovik, Lesovoi, Lesun, Mežainis, Miškinis, Miško velnias e Lauma são alguns deles. No entanto, o que todas as versões concordam é que a maior preocupação dele é proteger as florestas.

Algumas lendas colocam Leshy como um espírito brincalhão, que prega peças em visitantes da floresta, lançando ilusões e desorientando-os. Nesses casos mais brandos, basta fazê-lo rir para reencontrar seu caminho na mata, colocando as roupas do avesso ou os sapatos nos pés errados.

No entanto, também existem retratos mais sombrios de Leshy na cultura eslava. Alguns contos colocam-no como um sequestrador de bebês não-batizados, ou de crianças que vaguem sozinhas pela floresta.

Algumas versões contam também que ele tem uma esposa humana amaldiçoada, Leschachikha — que teria deixado sua aldeia ou sido expulsa de lá —, com quem teria vários filhos, alguns dos quais sendo as próprias crianças sequestradas.

De qualquer forma, a entidade era reverenciada entre o povo eslavo, que muitas vezes temia adentrar as florestas sem conseguir sua permissão. Logo, os contos sobre Leshy muitas vezes serviam como lembretes para que as pessoas preservassem a natureza, sem destruir árvores nas florestas ou matar animais.

Figuras folclóricas 

Da mesma forma como ocorre em várias mitologias, o folclore eslavo não se priva de fazer com que suas criaturas e entidades possuam relações entre si. Uma criatura com a qual Leshy é muito relacionado, por exemplo, é a tenebrosa bruxa Baba Yaga.

+ Baba Yaga: a má velhinha;

Baba Yaga / Crédito: Domínio Público via Wikimedia Commons

Algumas outras histórias o conectam também ao espírito maligno Chort, outro metamorfo que costuma enganar os humanos — porém de forma mais cruel: enquanto Leshy prega peças em quem se perde na floresta, o Chort costuma atrair as pessoas até o inferno.

Além disso, da mesma forma como ocorre com o Leshy, sua família é representada de maneiras diferentes ao longo de todo o folclore eslavo. Sua esposa, Leschachikha, também pode ser chamada de Leszachka ou Lesovikha ou, em outros casos, pode ser uma personagem completamente diferente: Kikimora, um espírito feminino que, assim como o Leshy, pode ser benevolente ou malévolo.

Da mesma forma como o marido espiritual, Kikimora é conhecida por sequestrar crianças e até adultos desavisados nas florestas, sendo também associada à Baba Yaga. Ela costuma viver em pântanos, e entra nas casas à noite, pelo buraco da fechadura da porta.

No entanto, por vezes, ela pode ser gentil e até mesmo ajudar nos afazeres domésticos — ou então causar grandes problemas, caso a residência esteja em constante desordem ou os moradores se comportem mal. Por isso, os eslavos consideravam importante também manter as casas limpas, além de um bom comportamento.

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!