Busca
Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaYoutube Aventuras na HistóriaTiktok Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Matérias / Charles III

O dia em que Charles III ‘causou’ um acidente milionário de avião

Até então príncipe de Gales, Charles colocou em risco a linha de sucessão ao trono, mesmo após anos de experiência na aviação

Fabio Previdelli Publicado em 24/09/2022, às 00h00 - Atualizado em 07/10/2022, às 20h00

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Charles, atual rei do Reino Unido - Getty Images
Charles, atual rei do Reino Unido - Getty Images

Após a morte da rainha Elizabeth II no último dia 8, aos 96 anos de idade, o primogênito da monarca, Charles, ascendeu ao trono britânico, passando a ser chamado oficialmente de rei Charles III

Entretanto, o sucessor da rainha mais longeva da história do Reino Unido — que ocupou o cargo mais relevante da coroa britânica por pouco mais de 70 anos — quase teve um destino trágico; o que mudaria toda a linha de sucessão real. Entenda!

O Charles piloto

Até então príncipe de Gales, Charles iniciou sua vida no mundo da aviação no começo dos anos 1970 — se tornando militar da Royal Navy entre 1971 e 1977. Porém, em 1994, após anos de experiência, o futuro rei do Reino Unido sofreu um acidente impressionante. Tudo aconteceu no dia 29 de julho. 

Importante ressaltar dois pontos daquele cenário: o primeiro é que o príncipe havia se separado a poucos meses de sua esposa, a princesa Diana — embora o divórcio só tenha sido oficializado em 1996. 

Charles e Diana no Palácio de Buckingham no dia do anúncio de seu noivado / Crédito: Getty Images

A segunda questão é que, naquele mesmo dia, seria transmitido o documentário ‘Charles: O Homem Particular, O Papel Público’ que falaria sobre sua vida. Apesar de um viés mais favorável ao atual monarca, a produção traria Charles assumindo que traiu Lady Di, conforme aponta a newsletter Todos a Bordo, do UOL. 

O acidente

Na ocasião, Charles comandava uma British Aerospace BAe-146-100, que pertencia ao governo britânico, partindo de Aberdeen, na Escócia, e que tinha como destino o aeroporto de Islay, na costa oeste do país. 

Quando se aproximou da pista de pouso, por volta do meio-dia do horário local, Charles ouviu a confirmação do comandante Graham Laurie para aterrissar. Mas o cenário era de instabilidade, agravado pelos ventos fortes. 

Um British Aerospace BAe-146-100/ Crédito: Domínio Público

Além disso, Charles manteve a aeronave mais alto e rápido do que as condições de pouso necessárias para aquela ocasião. Como se pode imaginar, uma ventania na parte traseira fez com que o avião tocasse o solo primeiro com a parte dianteira do trem de pouso — ficando com suas rodas traseiras no ar. 

Desta forma, o sistema de freio não reconheceu que aquela era uma parada e, portanto, não foi acionado corretamente; o que fez o avião continuar a percorrer a pista, só parando após atingir a grama. 

O nariz da aeronave bateu contra o chão e afundou na lama. Além disso, três pneus acabaram estourando. Por sorte, nenhum dos 11 tripulantes da aeronave, contando com o então príncipe Charles, se feriram. 

Sem mais sustos

Após o episódio, Charles deu declarações constrangidas sobre o acontecido: “Não foi bem um acidente”, recordou a fonte. “Nós atravessamos o final da pista, infelizmente. Não é algo que recomendou”, completou. 

Além do mais, o ‘deslize’ de Charles acarretou um prejuízo estimado em cerca de 1,6 milhão de dólares. Cerca de um ano depois, o relatório do acidente foi divulgado pelo Ministério de Defesa do Reino Unido, onde Charles anunciou que deixaria de pilotar. 

O documento, porém, isentou o monarca de algum tipo de culpa, alegando negligência do comandante e do navegador, que não alertaram Charles corretamente sobre as condições do voo. 

Eu deveria tê-lo feito arremeter e fazer outra aproximação, mas, na verdade, eu disse a ele [Charles] para pousar. Então ele fez exatamente o que foi dito para ele fazer", declarou o comandante Graham Laurie, anos mais tarde, em documentário do Channel 5, onde assumiu toda a culpa pelo episódio.

+Saiba mais sobre a família real britânica por meio de obras disponíveis na Amazon:

Diana. O Último Amor de Uma Princesa, de Kate Snell (2013) - https://amzn.to/2TgHgPO

The Queen: The Life and Times of Elizabeth II (Edição Inglês), de Catherine Ryan (2018) - https://amzn.to/2RhgNA7

God save the queen - O imaginário da realeza britânica na mídia, de Renato de Almeida Vieira e Silva (2015) - https://amzn.to/3qWCnIZ

O Amor Da Princesa Diana, de Anna Pasternack (2018) - https://amzn.to/2xOZ8c9

A história do século XX, de Martin Gilbert (2017) - https://amzn.to/2yFZMcv

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!