Tumor com dentes desenterrado de um convento em Portugal

Teratomas são extremamente raros em achados arqueológicos

Thiago Lincolins

Arcada dentaria | <i>Crédito: Shutterstock Images
Arcada dentaria | Crédito: Shutterstock Images

Durante a escavação de cemitério, arqueólogos fizeram um tétrico achado. Ou mais tétrico que a média em se falando em cemitérios: um teratoma, tumor com dentes. A busca ocorreu entre 2010 e 211, escavando 42 cadáveres no cemitério da Igreja e Convento do Carmo em Lisboa. A massa calcificada, com 4,3 cm de diâmetro, dentes e outras formações ósseas desorganizadas, foi encontrada próxima ao corpo de uma mulher enterrada aos 45 anos de idade.

"Quando os arqueólogos descobriram a massa ovariana, notaram imediatamente que haviam encontrado uma coisa muito incomum, que deveria ser levada para uma análise mais aprofundada no laboratório", diz Sofia Wasterlain, da Universidade de Coimbra, à Live Science. "Imagina-se que alguns tipos de tumores são características exclusivas das sociedades modernas atribuídas à civilização ocidental, mas também são encontrados em populações passadas."

A massa calcificada com o tumor / Foto: Jornal Internacional de Paleopatologia

O teratoma ("inchaço monstruoso") é o tipo de tumor mais comum que se origina nos ovários. Ocorre em mulheres quando as células que devem se tornar óvulos começam a se multiplicar anormalmente e a formar tecidos adultos, como cabelo, dentes e ossos. Em alguns casos, passam despercebidos no corpo. Em outros, podem se tornar cancerígenos. Sofia Wasterlain relata que inicialmente ela e os outros pesquisadores chegaram a achar que a massa ovariana se tratava de um feto morto ou uma gravidez ectópica (onde o embrião se prende fora do útero) que se calcificou dentro do corpo da mulher. Não foi possível apontar se a morte foi causada pelo tumor, mas já foi comprovado que o corpo do esqueleto encontrado junto a massa ovariana não aparenta ter nenhuma mudança.

O cemitério foi usado desde o início do século XV até o grande terremoto de 1755, que destruiu toda a igreja - e o resto da cidade. 


VEJA MAIS:

Conecte-se

Revista Aventuras na História