Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Curiosidades / Mundo

Como o 'Homem-Aranha' se tornou um ícone de resistência no Sudão

Ativista vestido como o super-herói tem lutado contra a repressão do governo militar

Ingredi Brunato, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 17/05/2022, às 11h59

Fotografias de ativista mascarado postadas por usuários do Twitter - Divulgação/ Redes Sociais
Fotografias de ativista mascarado postadas por usuários do Twitter - Divulgação/ Redes Sociais

Após 30 anos sob o regime de Omar al-Bashir, o Sudão finalmente foi capaz de derrubar o governo ditatorial em abril de 2019, após manifestações massivas por parte de sua população. 

O período democrático, contudo, não durou muito: em outubro de 2021, um golpe militar tomou o poder no país, gerando assim uma nova leva de protestos.

Um personagem curioso que se tornou conhecido na internet em meio à conturbação política é o "Homem-Aranha do Sudão", um ativista mascarado que marca presença em atos políticos e estimula a população a não desistir. 

O homem que se veste como o super-herói dos quadrinhos da Marvel, mantendo sua identidade anônima, está fortemente envolvido na resistência ao novo governo sudanês, assim como esteve no período anterior à queda do último, de acordo com informações do The Guardian, que o entrevistaram. 

Os partidos militares e contrarrevolucionários roubaram a revolução do Sudão. Eles são como o antigo governo de 30 anos – não há diferença entre eles e o partido do Congresso Nacional [de Bashir]. Eles são ditadores e querem apenas o controle", explicou o ativista ao veículo. 

Jornada do herói

Assim como outros manifestantes, o Homem-Aranha sudanês não teve uma trajetória fácil para continuar expressando seu repúdio àqueles que controlam o país. Durante os protestos, ele precisa enfrentar gás lacrimogêneo e canhões de água regularmente. 

Ainda conforme o The Guardian, existem também ocasiões em que as passeatas realizadas pela população são perturbadas por balas reais atiradas pelos agentes de segurança. 

Assim, existe de fato um risco de perder a vida durante os atos políticos, algo que o ativista vestido de super-herói sabe bem: foi durante uma dessas manifestações que seu amigo de infância pereceu, vítima dos esforços de repressão. 

Até hoje continuamos a tentar libertar o país, mas não temos medo. O povo do Sudão, todos eles, continuarão a enfrentar as forças de segurança e as balas", concluiu o Homem-Aranha.

+ Para conferir o documentário feito pelo The Guardian a respeito da figura, clique aqui