Notícias » Literatura

Editora publica primeiro livro com foto de Machado de Assis negro

"O homem que odiava Machado de Assis", de José Almeida Júnior, mistura história e ficção em torno de um dos maiores gênios da literatura

Thiago Lincolins Publicado em 15/05/2019, às 17h00

None
A capa do livro foi inspirada pela colorização acima, feita pela faculdade Zumbi dos Palmares / Crédito: Reprodução

Poucos personagens destoam mais daquilo que se costuma popularmente associar ao Brasil que o maior autor da literatura nacional. Em pleno Rio de Janeiro tropical, suas histórias revelam obsessões por morte, melancolia e traição. Ao mesmo tempo, ninguém podia ser mais representativo: nascido de um pintor de paredes mulato e uma lavadeira portuguesa, tornou-se órfão de mãe aos 10 anos de idade.

Sem nunca pisar na sala de aula de uma universidade, Machado de Assis teve de inventar a si mesmo. O seu trabalho continua sendo referência e a sua vida ainda instiga autores ao redor do Brasil.

Em junho, chega às livrarias a obra O homem que odiava Machado de Assis, da Faro Editorial. Escrito por José Almeida Júnior, que já venceu o prêmio Sesc de literatura, o livro se destaca das outras obras já lançada sobre o gênio brasileiro. Além de misturar história e ficção em torno de um dos gênios da literatura, o exemplar traz a primeira imagem de Machado de Assis negro em sua capa.

A capa do livro / Crédito: Faro Editorial

 

“Quando tomei conhecimento da campanha Machado de Assis real, promovida pela faculdade Zumbi dos Palmares, a capa de meu livro já estava na gráfica. Machado de Assis era mestiço, bisneto de escravos, mas sofreu um processo de embranquecimento ao longo do tempo”, explica José Almeida. “Retratar o mais importante escritor brasileiro como negro é uma correção histórica, que garante às novas gerações conhecer o Machado de Assis real. Devido à importância da campanha, a editora interrompeu o processo de produção do livro e alterou a foto de Machado de Assis na capa.”

O livro apresenta a história de Pedro Junqueira, que aos seis anos de idade e após a morte de sua mãe, chegou ao Morro do Livramento para morar com sua tia materna D. Maria José. Logo o garoto se envolve em conflitos com Joaquim Maria Machado de Assis.