Busca
Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaYoutube Aventuras na HistóriaTiktok Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Ayrton Senna

Fotos e entrevistas: Especial relembra os 30 anos sem Ayrton Senna

Com imagens de acervo e entrevistas exclusivas, o especial "30 anos sem Senna" retrata a brilhante trajetória do piloto que virou herói nacional

Gabriela Santos e Thiago Lincolins Publicado em 03/04/2024, às 12h09 - Atualizado em 05/04/2024, às 14h57

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Ayrton Senna - Getty Images
Ayrton Senna - Getty Images

Um artista nas pistas, e um ícone fora delas. Em memória aos 30 anos do legado de Ayrton Senna, a Aventuras na História e o SportBuzz se uniram na para relembrar a história do ídolo nacional em uma publicação especial (Adquira o seu exemplar na pré-venda aqui).

[Colocar ALT]
Especial '30 anos sem Senna'

A edição do mês de abril reúne entrevistas com Alan Mosca (criador do icônico capacete de Senna), Rogério Martins (co-criador do Senninha), Walter Casagrande (ídolo do Corinthians, time do coração de Ayrton), Ernesto Rodrigues (biógrafo), Carol Politta (engenheira mecânica engajada na comunidade da F1 no Brasil), Adriane Galisteu (o último amor do piloto), e o muralista Eduardo Kobra (autor da homenagem ao brasileiro no Autódromo de Ímola).

No dia 1º de maio de 1994, o herói nacional entristeceu o mundo com sua trágica morte no Grande Prêmio de San Marino.“O Ayrton colocou o Brasil no topo da montanha e segurou lá em cima no tempo em que estava vivo. É o Pelé da Fórmula 1”, diz Casagrande.

Recordes

Guiando o carro, como o Ayrton Senna do Brasil que todos conhecemos, representou uma perfeita simbiose de um ícone nacional e um lendário piloto de Fórmula 1. O ídolo mostrou garra e ensinamentos em seus 161 GPs disputados, que resultaram em 41 vitórias, 65 poles positions, 80 pódios e o tricampeonato mundial, marcos que fazem seu legado se manter vivo.

Ayrton Senna foi o maior piloto brasileiro da história da categoria. De 1984 a 1994, ele passou pela Tolerman, Lotus, McLaren e Williams. Foi com o carro branco e vermelho que ele conquistou os três campeonatos mundiais. Ele ainda é considerado por muitos automobilistas da nova geração a grande inspiração profissional.