Notícias » Kosovo

20 anos depois de independência, presidente do Kosovo é denunciado por crimes de guerra

Hashim Thaci, atual presidente do Kosovo, foi um dos fundadores do movimento separatista e é denunciado por crimes que variam de assassinato a tortura

Caio Tortamano Publicado em 24/06/2020, às 14h51

Presidente kosovar Hashim Thaci
Presidente kosovar Hashim Thaci - Wikimedia Commons

A Procuradoria do Tribunal Especial para o Kosovo formalizou uma denúncia de crimes contra os direitos humanos por parte do presidente Hashim Thaci. Os delitos teriam acontecido pelo político durante a guerra pela independência do Kosovo, entre 1998 e 1999.

Entre os crimes apontados pela procuradoria estão assassinato, desaparecimento forçado de pessoas, tortura e perseguição. Estabelecido na Holanda, a Procuradoria julga os crimes do Exército da Libertação, liderados por Thaci e por Kadri Veseli, ex-presidente da câmara legislativa e do serviço de inteligência do país que também está sendo denunciado.

Essa decisão veio justamente após a visita de um representante dos Estados Unidos, Richard Grenell, que fora até o Kosovo e a Sérvia (país do que tinha domínio do território antes da independência) com o objetivo de oferecer uma reunião no país de Grenell para resolver questões diplomáticas.

Os Estados Unidos, bem como grande parte dos maiores países da Europa, reconhecem Kosovo como estado independente. Essa reunião pode encerrar com um conflito que foi reavivado em 2008, depois que a Sérvia não reconheceu a independência do país vizinho.