Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Academia Brasileira de Letras

Academia Brasileira de Letras tem evento em comemoração aos seus 125 anos

Evento que conta com leituras dramatizadas e grandes nomes da teledramaturgia brasileira, ocorre nesta segunda-feira, 18

Luisa Alves, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 18/07/2022, às 15h23

Fachada da Academia Brasileira de Letras - Foto de Romildo Garcia Martins Júnior no Google Maps
Fachada da Academia Brasileira de Letras - Foto de Romildo Garcia Martins Júnior no Google Maps

A Academia Brasileira de Letras, comemora 125 anos através de evento com leituras dramatizadas e outras atividades com grandes nomes da teledramaturgia brasileira. Organizado pelos Estúdios Globo, o "Do folhetim à novela", ocorre na tarde da segunda-feira, 18.

O evento é composto por debates com atores e acadêmicos e leituras dramatizadas de grandes clássicos, como “Grande Sertão Veredas” de Guimarães Rosa que foi ocupante da cadeira 2  — cuja interpretação é de Tony Ramos, que lê trechos da obra. 

O atual presidente da Academia Brasileira de Letras, Merval Pereira, ocupante da cadeira 31, é quem abre o evento. Acompanhado de Fernanda Montenegro, atriz e acadêmica, ocupante da cadeira 17 e por João Roberto Marinho, presidente do grupo Globo, ele faz um discurso de abertura. 

Outra leitura será de “Memorial de Maria Moura”, obra de Rachel de Queiroz, primeira mulher a entrar na academia e ganhadora de uma minissérie na TV Globo, como aponta o jornal O Globo.

Bate-papo e parte musical

Logo após as leituras dramatizadas, um bate-papo “O caminho da literatura à dramaturgia”, é comandado pela jornalista Aline Midlej, com Geraldo Carneiro, escritor ocupante da cadeira 24, os atores Lilia Cabral e Tony Ramos e o especialista em teledramaturgia Mauro Alencar.

A parte musical, composta por clássicas trilhas de novelas, como “Amarro o teu arado a uma estrela”, de Gilberto Gil, músico da cadeira 20 e “Os sábios costumam mentir”, de Antonio Cicero, poeta da cadeira 27, será comandada pela cantora Teresa Cristina.

Além disso, um filme em homenagem a "Casa de Machado de Assis", fundada em 20 de julho de 1897, também será exibido.