Notícias » Personagem

Antes de edição, o Lobo Mau de 'Os Três Porquinhos' foi alvo de polêmica na comunidade judaica

Walt Disney alterou por conta própria a polêmica cena anos após o lançamento do curta

Redação Publicado em 12/03/2022, às 10h00

O lobo mau disfarçado de vendedor judeu
O lobo mau disfarçado de vendedor judeu - Divulgação / vídeo / Youtube / Almanaque do Entretenimento

Muitas animações do passado, apesar de aclamadas até os dias de hoje, refletem os maiores preconceitos de sua época, com cenas repletas de racismo e antissemitismo. Até mesmo os estúdios Disney, responsáveis por clássicos que fizeram parte da infância de diversas gerações, estão envolvidos em polêmicas do tipo. 

Talvez você já tenha notado que o famoso curta "Os Três Porquinhos", de 1933, possui duas versões, que diferem em um único detalhe: a caracterização do Lobo Mau. Apesar de poder passar despercebido por uma criança, um dos disfarces utilizados pelo vilão ao tentar capturar os porquinhos foi visto como antissemitismo.

Piada com judeus

Após tentar, sem sucesso, devorar os porquinhos nas casas de palha e madeira, o Lobo Mau se dirige à construção de tijolos onde os três personagens estão abrigados. Para tentar enganá- los, ele tem a ideia de se disfarçar de vendedor.

Walt Disney / Crédito: Divulgação / vídeo / Youtube / fireurgunz

No entanto, não se trata de um simples ambulante, mas de um homem claramente com estereótipos judaicos. Ele usa barba e uma longa roupa, além de que, conforme apontou o site Adoro Cinema, possui sotaque iídiche.

De acordo com o site Ovest, a piada presente na cena é a de que os porcos, ao perceberem que se trata de um vendedor judaico, se sentiriam seguros para abrir a porta da casa, uma vez que judeus não comem carne de porco.

A cena é editada

Anos mais tarde, em 1948, o próprioWalt Disney editou a cena, transformando o vilão em um vendedor genérico. Segundo afirmou a fonte, as piadas com pessoas de origem judaica não tornaram a se repetir em produções da marca.

Divulgação/Vídeo

Apesar da polêmica, até os dias de hoje, há quem diga que não houve antissemitismo em "Os Três Porquinhos".

O vendedor em nova versão / Crédito: Divulgação / vídeo / Youtube / Polya Ent.

Walt Disney era antissemita?

“No que me diz respeito, não havia evidências de antissemitismo. Eu acho que toda a ideia deve ser colocado para descansar. Ele foi não antissemita. Algumas das pessoas mais influentes no estúdio eram judeus. É muito barulho por nada. Nós nunca tivemos um problema com ele sobre isso”, declarou certa vez o artista Joe Grant, quem era de origem judaica.

“Eu sei que ele tinha grande respeito por todas as fés. O rabino Edgar Magnin refere-se a ele como “meu amigo Walt Disney” em seu livro intitulado “365 Vitamins for the Mind”, disse Diane, filha do produtor. 

Por outro lado, mais recentemente, uma sobrinha-neta de Walt, Abigail, reconheceu que o mesmo era de fato antissemita e chegou a dizer que o filme sobre os bastidores de Mary Poppins foi uma tentativa equivocada de transformá-lo em um santo.

"Eu sei que ele era um homem de seu tempo e posso perdoá-lo, mas o filme é uma tentativa da companhia de fazê-lo parecer um santo. Ele não era um demônio mas também não era um santo", disse Abigail.