Busca
Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaYoutube Aventuras na HistóriaTiktok Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Mundo

Após 23 horas à deriva no mar, homem é resgatado graças a seu relógio

Will Fransen, de 61 anos, pescava sozinho ao sul de Auckland, na Nova Zelândia, quando um peixe grande o derrubou na água — e não conseguiu retornar ao seu barco

Redação Publicado em 05/01/2024, às 10h14

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Fotografia do porto de Whangamatā, na Nova Zelândia, de onde Will Fransen partiu para pesca - Foto por Abaconda Management Group pelo Wikimedia Commons
Fotografia do porto de Whangamatā, na Nova Zelândia, de onde Will Fransen partiu para pesca - Foto por Abaconda Management Group pelo Wikimedia Commons

Na última terça-feira, 2 de janeiro, um homem da Nova Zelândia chamado Will Fransen, de 61 anos, enfrentou um dos momentos mais tensos de sua vida. Isso porque ele partiu de Whangamatā, na Península de Coromandel, ao sul de Auckland, em uma viagem de pesca sozinho, até que um peixe grande o derrubou no mar, onde permaneceu à deriva por mais de 23 horas.

+ Após seis dias à deriva, pescadores são resgatados pela Marinha brasileira

De acordo com o The Guardian, depois de fisgar o que pensava ser um marlin, Fransen foi puxado para fora de seu barco, e não conseguiu retornar. Ele até tentou retornar nadando até as Ilhas Alderman, mas foi arrastado pelas correntes marítimas. Felizmente, ele conseguiu ser resgatado por pescadores que avistaram o reflexo de seu relógio ao longe.

Segundo Will Hamilton, sargento da polícia de Whangamatā, a sobrevivência de Will Fransen foi um "milagre absoluto". O que o próprio homem confirma, visto que, conforme ele disse ao New Zealand Herald, ele se sentia "pessimista" quanto às suas chances de sobrevivência. 

Peguei a linha com o marlin preso e comecei a puxá-la. Tentei ir em direção ao barco, mas a linha escorregou da minha mão, o que é bastante devastador, porque em seguida meu barco estava parado no horizonte e eu estou na água", narrou. "Quando entrei na água, sabia que as chances de alguém saber que eu estava na água eram muito pequenas. Fiquei bastante pessimista desde o início. Eu simplesmente continuei vivo."

Muito exausto para seguir nadando, Fransensuportou uma noite inteira na água, tendo encarado até mesmo um tubarão nesse tempo. "Desisti e simplesmente andei na água e observei o lindo pôr do sol lá em cima", conta. 

Resgate

Após a longa noite, Fransen felizmente foi salvo na manhã seguinte, depois que três pescadores perceberam um brilho estranho na água e então se aproximaram com o barco para investigar. Quando chegaram, encontraram o homem, exausto e com frio, nas águas da Ilha Mayor; o brilho que avistaram partia de seu relógio, que ele utilizou para refletir a luz do sol em direção ao barco de pesca.

"Os barcos fizeram um trabalho absolutamente excelente e sem dúvida salvaram a vida deste homem", afirma Will Hamilton. "Poucas histórias terminam como esta, e a polícia não pode agradecer o suficiente ao trio com olhos de águia por fazer a ligação para investigar algo que parecia fora do comum."

Depois que Will Fransen foi encontrado, o capitão do barco de resgate, Max White, teve como prioridade colocá-lo a bordo e mantê-lo acordado, segundo a CNN. "Tínhamos uma grande sacola térmica e o embrulhamos em tantas camadas quanto possível", conta. Agora, o barco de Fransen segue desaparecido, mas as autoridades ainda devem se mover para resgatá-lo também.

+ Os intensos relatos do homem que passou mais de um ano à deriva no Pacífico

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!