Notícias » Brasil

Mais lidas: Após 26 dias perdidas na floresta Amazônica, crianças são resgatadas

As crianças que viveram o perturbador episódios são de Manicoré, Amazonas

Redação Publicado em 17/03/2022, às 10h31 - Atualizado em 19/03/2022, às 09h00

Fotos das crianças
Fotos das crianças - Divulgação/Vídeo/Youtube

Na cidade Manicoré, Amazonas, uma história surpreendente foi repercutida na última quinta-feira, 17. Duas crianças, de 7 e 9 anos foram resgatadas após mais de 26 dias longe de casa. Neste caso, eles estavam perdidos na Floresta Amazônica. 

Conforme repercutido pelo portal de notícias UOL, os pequenos passaram mais de 26 dias na floresta, sem contar com alimentos e bebiam somente água da chuva. Desaparecidos em 15 de fevereiro, eles saíram de Manicoré para caçar pássaros.

O pesadelo dos pequenos só chegou ao fim quando um homem que cortava lenha no local os encontrou. 

Suzy Serfaty, profissional que cuidou do atendimento das crianças, explicou o estado de saúde das crianças através das redes sociais. A médica relatou um quadro grave de desnutrição e desidratação. 

"As crianças chegaram com um quadro de desnutrição grave e quadro de desidratação grave. Esse quadro acaba agravando a questão renal deles. Eles chegaram com uma insuficiência pré-renal por falta de ingestão adequada de líquidos e também com um quadro de infecção generalizada, com muitas lesões em pele", disse ela.

Visando evitar o assédio midiático diante do estado de saúde fragilizado, as crianças chegaram à Manicoré com o corpo e rosto escondidos.

O mais velho da dupla, Gleison, relatou que eles não conseguiram se alimentar no período, explicou Suzy.

"Segundo Gleison, o mais velho, eles não comeram nada neste período, somente tomaram água da chuva. Não encontraram nenhum rio por lá, não tinham como se alimentar. É difícil para eles entenderem que não podem comer um pedaço de bolo ou peixe, como eles querem. Por causa do período em que eles ficaram sem se alimentar, eles não podem receber agora uma dieta com caloria aumentada".

Diante do episódio traumático, as crianças recebem não só apoio psicológico, mas também foram submetidas a exames laboratoriais e passam bem. 

Além disso, a TV Amazônica relata que o Ministério Público do Amazonas solicitou que os jovens fossem levadas para capital. Assim poderão passar por uma avaliação de estado de saúde mais detalhado.