Busca
Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaYoutube Aventuras na HistóriaTiktok Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Mundo

Brasileiro de 37 anos é encontrado morto em lago na Alemanha

Alexandre Luiz Toledo de Oliveira trabalhava como pizzaiolo na Alemanha, até que foi encontrado morto em lago na última sexta-feira, 24

Redação Publicado em 01/12/2023, às 08h20

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Alexandre Luiz Toledo de Oliveira, brasileiro encontrado morto em rio na Alemanha - Divulgação/Arquivo da família
Alexandre Luiz Toledo de Oliveira, brasileiro encontrado morto em rio na Alemanha - Divulgação/Arquivo da família

Na manhã da última sexta-feira, 24, um brasileiro de 37 anos foi encontrado morto em um lago no município de Fulda, na Alemanha. Agora, a família tenta trazer o corpo de Alexandre Luiz Toledo de Oliveira de volta ao Brasil.

Natural de Varginha, cidade localizada na região do Sul de Minas, e trabalhava como pizzaiolo na Alemanha, onde vivia desde 2018. Segundo o UOL, a família de Alexandre só foi saber da morte por meio de uma ligação telefônica.

+ O que se sabe sobre a brasileira descoberta morta em banheira na Austrália

A primeira pessoa a ser avisada da morte de Alexandre foi seu chefe, que contatou uma ex-funcionária e amiga do brasileiro e pediu para que ela avisasse a família do homem. Bela Toledo, uma irmã do pizzaiolo, afirma que um amigo da família os ajudou a conversar com a polícia alemã, e assim o óbito foi confirmado. 

Transportar o corpo

Conforme apurado pelo UOL, o corpo de Alexandre foi liberado do necrotério de Fulda já na quarta-feira, 29, e os familiares esperam que o atestado de óbito seja emitido ainda esta semana. A causa da morte do pizzaiolo, porém, ainda não foi informada.

Agora, como a família pretende fazer o velório do homem em sua cidade natal, uma nova dificuldade surge, no que se refere ao translado do corpo. Para tal, fizeram uma vaquinha com a meta de arrecadar R$ 80 mil. 

O traslado, infelizmente, é muito caro. A gente não conseguiu ajuda financeira de forma alguma. Ninguém banca nada, nem Alemanha, nem nada. Então, a gente agora está aguardando a vaquinha online para ver se a gente consegue arrecadar o valor", conta a irmã de Alexandre ao UOL.

Agora, também, um irmão do brasileiro pretende viajar até a Alemanha para acompanhar os trâmites.

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!