Busca
Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaYoutube Aventuras na HistóriaTiktok Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / China

‘Calendário astronômico’ de 2 mil anos é encontrado em tumba na China

23 tiras de madeira, que podem ter pertencido a um calendário astronômico, foram encontradas em tumba bem preservada

Fabio Previdelli

por Fabio Previdelli

fprevidelli_colab@caras.com.br

Publicado em 26/12/2023, às 16h37 - Atualizado às 16h41

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Peças do calendário encontradas na China - Chongqing Cultural Relics and Archaeology Research Institute
Peças do calendário encontradas na China - Chongqing Cultural Relics and Archaeology Research Institute

Na China, arqueólogos desenterraram um misterioso conjunto de peças retangulares de madeira que podem ter pertencido a um calendário astronômico. Os artefatos foram descobertos em uma tumba de mais de 2 mil anos que foi encontrada em excelente estado de preservação no sudoeste do país. 

Segundo o Live Science, cada uma das 23 tiras de madeira possuem cerca de 2,5 centímetros de largura e 10 cm de comprimento. Elas exibem caracteres chineses relacionados ao Tiangan Dizhi, ou "Dez Hastes Celestiais e 12 Ramos Terrestres" — um calendário astronômico tradicional chinês estabelecido durante a dinastia Shang (que governou entre 1600 a.C. a cerca de 1045 a.C.).

+ 13 meses de 28 dias: Conheça o inusitado Calendário Fixo Internacional

Arqueólogos chineses em ação/ Crédito: Chongqing Cultural Relics and Archaeology Research Institute

Entendendo o calendário

De acordo com os pesquisadores, uma das tiras de madeira pode ter representado o ano em curso, enquanto as outras 22 seriam usadas para especificar qualquer outro ano do antigo calendário, conforme tradução feita pelo China News. 

Além disso, perfurações circulares nas bordas de cada uma das tiras sugerem que elas já foram amarradas. No entanto, não está claro como o calendário seria usado, informaram os especialistas. 

Vale ressaltar que, embora esta seja a primeira vez que um objeto desta natureza é encontrado em uma tumba antiga, a prática de escrever caracteres em tiras de madeira ou bambu já eram comuns na China antes mesmo da invenção do papel.

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!