Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Inglaterra

Doador de sêmen é punido por omitir ser portador de síndrome genética rara

O homem, que vive na Inglaterra, tem 15 filhos biológicos

Redação Publicado em 31/05/2022, às 10h02

Imagem ilustrativa de criança com adulto - Imagem de Endho via Pixabay
Imagem ilustrativa de criança com adulto - Imagem de Endho via Pixabay

Um cidadão de Derby, na Inglaterra, omitiu uma condição cromossômica ao se inscrever em plataformas virtuais de doação de sêmen. Aos 37 anos, James MacDougall é pai biológico de 15 crianças, porém foi orientado pela Justiça a deixar de ser doador, uma vez que a rara síndrome do X frágil, é hereditária.

A condição de James compromete o desenvolvimento intelectual e ainda provoca distúrbios emocionais, conforme informou o Daily Mail. Segundo o tabloide, o processo teve início na Vara Familiar de Derby, a partir de ação movida pelo doador, que exigia o direito de conviver com quatro de seus filhos, mesmo tendo assinado um documento no qual concordava em nunca ter contato com eles.

Decisão

Apesar do pedido, a juíza Justice Lieven entendeu que o homem não deve manter contato com nenhuma das crianças e que ele teria se inscrito em plataformas online porque sabia que não seria aprovado em uma clínica em razão de sua síndrome.

De acordo com o UOL, uma mulher que teve dois filhos a partir do material doado pelo britânico chegou a permitir que ele visitasse os filhos, porém se afastou depois de ser agredida pelo homem. Uma das crianças, que tem três anos de idade, não fala e apresenta distúrbios de comportamento.

Além disso, a juíza apontou que MacDougall é "uma pessoa complexa, com dificuldade de aprendizado, espectro autista, visões fixas, pensamento concreto e uma profunda falta de discernimento" e, ainda, que ele tem "pouca empatia, fica agitado e agressivo com facilidade e perde o controle quando não tem sua vontade atendida".

"Considero que o senhor James não tem nenhum autocontrole sobre seus sentimentos de raiva e frustração", concluiu ela, que argumentando que o homem teria se aproveitado da vulnerabilidade das mulheres sem se preocupar com o impacto na vida delas e dos filhos.