Notícias » Brasil

Em discurso, Bolsonaro afirma existir campanha de desinformação em relação a Amazônia

A Assembleia Geral da ONU foi iniciada com um pronunciamento do presidente do Brasil, que se defendeu de críticas

Caio Tortamano Publicado em 22/09/2020, às 13h09

Jair Bolsonaro em coletiva
Jair Bolsonaro em coletiva - Getty Images

A abertura da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) que teve início hoje, 22, contou com pronunciamento do presidente brasileiro Jair Bolsonaro.

O político, atualmente sem partido, defendeu medidas do país mediante a crise da pandemia do coronavírus e a respeito das queimadas devastadoras no Pantanal e na Amazônia.

Acusando parte da imprensa brasileira de ter disseminado o caos durante esses meses de pandemia, Bolsonaro afirmou que tratou o vírus e o desemprego de maneira igual. De acordo com a fala do presidente, as regras de isolamento são de responsabilidade dos governadores estaduais. Além disso, ele também afirmou que seu papel como líder do governo federal foi feito, já que promoveu o programa do auxílio emergencial.

Quanto a Amazônia, o presidente afirmou que há uma campanha de desinformação em relação a floresta por ser área de interesse de países estrangeiros. “Nosso agronegócio continua pujante e, acima de tudo, possuindo a melhor legislação ambiental do planeta”, afirmou Jair.

De acordo com a Folha, Bolsonaro também relativizou as queimadas no Pantanal, afirmando haver exagero nas críticas a postura de seu governo diante das crises ambientais.