Busca
Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaYoutube Aventuras na HistóriaTiktok Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Medieval

‘Enterro de cama’ romano completo que revela costume medieval é encontrado

Os arqueólogos também encontraram no local vestígios de um cemitério do século 16 com sepulturas dos “primeiros residentes da Londres romana”

Isabelly de Lima Publicado em 05/02/2024, às 10h51

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Arqueólogos encontrando cama funerária - Reprodução / MOLA
Arqueólogos encontrando cama funerária - Reprodução / MOLA

Arqueólogos britânicos realizaram uma descoberta notável no coração de Londres, desenterrando cinco caixões de carvalho romano de 2.000 anos, uma cama funerária completa e uma variedade de esqueletos em um canteiro de obras.

O local da escavação, situado a quase 6 metros abaixo do nível da rua, revelou-se o último "local de descanso de alguns dos primeiros residentes da Londres romana", conforme afirmado pelo Museu de Arqueologia de Londres (MOLA).

Ainda que os caixões de madeira romana tenham sido encontrados em outras áreas de Londres, esta é a primeira vez que um leito funerário completo é descoberto na Grã-Bretanha. A cama, feita em carvalho, apresenta pés esculpidos e juntas fixadas com pequenas estacas de madeira.

Acredita-se que tenha sido desmontada antes de ser colocada na sepultura, possivelmente usada para transportar o indivíduo ao enterro e destinada a ser um bem funerário para uso na vida após a morte.

Sabemos que os romanos enterraram seus mortos ao longo das estradas, fora dos centros urbanos", destacou Heather Knight, arqueóloga sênior do MOLA. "No entanto, os níveis de preservação que encontramos — e particularmente a descoberta de uma vasta gama de achados de madeira — realmente nos surpreendeu".

Costume medieval

A excelente preservação das descobertas é atribuída ao ambiente de lama úmida do Rio Frota, onde foram enterradas. A prática de ser enterrado em uma cama era comum entre os cristãos na Europa medieval, especialmente entre a elite, de acordo com o Live Science.

Além dos caixões e da cama, os pesquisadores desenterraram restos de esqueletos humanos e objetos pessoais, como contas, um frasco de vidro e uma lâmpada decorativa que datam do início do período romano da Grã-Bretanha (48 a 80 d.C.).

Frasco de vidro e lâmpada decorativa encontrados no local da descoberta - Reprodução / MOLA

Outras descobertas incluem poços revestidos de madeira e pisos de giz, indicando uma oficina de curtume (curtimento de couro, pele e outros) nos anos 1200, assim como artefatos mais recentes, como um cano de água do século 15 ou 16 e evidências de um cemitério do século 17. Os arqueólogos da MOLA continuarão as escavações ao longo do ano, antes da construção de um edifício de escritórios de luxo no local.

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!