Busca
Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaYoutube Aventuras na HistóriaTiktok Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Nasa

Escudo inflável é testado pela Nasa e pode ajudar a levar humanos à Marte

A Nasa realizou o teste nesta quinta-feira, 10, e pode significar um grande avanço científico

Redação Publicado em 10/11/2022, às 20h00

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Imagem ilustrativa do equipamento LOFTID - Divulgação / NASA
Imagem ilustrativa do equipamento LOFTID - Divulgação / NASA

Pensar em ir para Marte é algo ainda muito longe da realidade da humanidade, porém, a Nasa testou um equipamento que poderá ajudar a levar humanos ao planeta, e, no futuro, até mais além.

Um dos principais desafios que a agência espacial enfrenta em viagens aos outros planetas que possuem atmosfera é atravessar tal barreira natural de forma segura. Mas o novo dispositivo serve como um escudo térmico inflável que é capaz de proteger equipamentos e astronautas no momento do pouso, que é crucial.

Batizado de LOFTID (sigla em inglês para "Teste de Voo de um Desacelerador Inflável em Órbita Baixa da Terra"), o equipamento foi feito para solucionar um problema específico. Tal ponto é que, quando uma espaçonave entra na atmosfera, agem sobre ela forças aerodinâmicas e esse arrasto é uma força que ajuda a desacelerá-lo, convertendo em calor sua energia cinética.

Ajuste eficiente

Usar esse arrasto atmosférico é o método em massa mais eficiente para desacelerar uma espaçonave. A atmosfera de Marte é muito menos densa que a do nosso planeta, oferecendo um extremo desafio para a desaceleração aerodinâmica, segundo o History.

O LOFTID é uma estrutura inflável protegida por um escudo térmico flexível que atua como um freio gigante enquanto atravessa a atmosfera marciana. A estrutura permite que a espaçonave desacelere mais cedo, em altitudes mais altas, experimentando um aquecimento menos intenso.

Ele foi construído para suportar temperaturas de reentrada na atmosfera que sejam superiores a 1600°C. Testado nesta quinta-feira, 10, o equipamento foi levado até a órbita da Terra, em uma altitude próxima a 125 quilômetros. Cerca de uma hora depois, ele reentrou na atmosfera terrestre, caindo no oceano próximo ao Havaí. O equipamento ainda será resgatado e avaliado.

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!