Busca
Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaYoutube Aventuras na HistóriaTiktok Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Mamute

Esqueleto de mamute é encontrado por mineiros de carvão nos EUA

A impressionante descoberta, que inclui uma presa de mais de 2 metros, se deu no estado da Dakota do Norte

por Giovanna Gomes

ggomes@caras.com.br

Publicado em 09/01/2024, às 13h02

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Presa de mamute encontrada - Divulgação/Departamento de Recursos Minerais de Dakota do Norte
Presa de mamute encontrada - Divulgação/Departamento de Recursos Minerais de Dakota do Norte

Um esqueleto de mamute foi encontrado por mineiros de carvão no estado americano da Dakota do Norte, revelando uma descoberta extraordinária que inclui uma presa completa de 2,1 metros.

Durante as operações na Mina da Liberdade, próxima à cidade de Beulah, no fim de maio do ano passado, os trabalhadores se depararam com a presa notavelmente bem preservada.

Após a descoberta, a área foi fechada para possibilitar escavações paleontológicas conduzidas por especialistas do Serviço Geológico da Dakota do Norte, da Sociedade Histórica do Estado de Dakota do Norte e da Secretaria de Gestão Territorial no antigo leito do córrego, onde os fósseis foram localizados.

De acordo com o portal Live Science, foram desenterrados do local mais de 20 ossos do esqueleto do mamute, incluindo costelas, uma omoplata, um dente e partes dos quadris.

Descoberta importante

Clint Boyd, paleontólogo sênior do Serviço Geológico da Dakota do Norte, destacou a notabilidade dessa descoberta e classificou o espécime como um dos esqueletos de mamute mais completos já encontrados na região.

Os ossos foram cuidadosamente envolvidos em filmes plásticos protetores antes de serem transportados para o Laboratório de Paleontologia no North Dakota Heritage Center e Museu do Estado em Bismarck, onde serão minuciosamente limpos para análises detalhadas.

Posteriormente, esses ossos serão utilizados para educar o público sobre a vida durante a última era, que compreendeu o período de 2,6 milhões a 11.700 anos atrás, embora ainda não haja uma determinação definitiva sobre o local de sua exposição.

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!