Notícias Egito Antigo

Grávida morta há 3700 anos traz revelações sobre o antigo Egito

Esqueleto foi encontrado com feto na barriga; a medicina egípcia era avançada, mas não pôde fazer muito por ela

sexta 23 novembro, 2018
Detalhe de mural funerário egípcio
Detalhe de mural funerário egípcio Foto:Getty Images

Durante escavações em Kom Ombo, sítio arqueológico em Aswan, no Egito, arqueólogos da Universidade de Yale e especialistas da Universidade de Bolonha fizeram uma descoberta algo desconfortável. O esqueleto de uma mulher grávida, datado de 3 700 anos, foi enterrado com o feto dentro do seu corpo.

A morte foi esclarecida num trabalho forense. De acordo com a pesquisa, ela estava nas semanas finais de gestação quando veio a óbito – o feto foi encontrado de cabeça para baixo, apontado para a pélvis da mulher. A posição indica que ela morreu após entrar em trabalho de parto.

Notícias Relacionadas

O corpo encontrado e o feto destacado em vermelho Ministério das Antiguidades do Egito

Os pesquisadores acreditam que a mulher tinha aproximadamente 25 anos quando morreu. Seu corpo foi encontrado enrolado numa mortalha de couro no cemitério. Após análises, os arqueólogos identificaram anormalidades nos ossos pélvicos, indicando uma possível fratura antiga que não foi devidamente tratada. Esse problema pode ter dificultado o parto e resultado nas mortes da jovem e do feto. Alguns materiais também indicam sua profissão: uma fabricante de contas decorativas.

“A descoberta de um feto morto numa mulher desse período é extremamente rara”, afirma a bioarqueóloga Sandra Wheeler, da Universidade do Sul da Flórida, à National Geographic. “Isso reforça a ideia de que o parto era precário e a mortalidade maternal é algo que as pessoas tiveram de enfrentar por todas as eras”. 

Imagem de Taweret do período ptolomaico, séc. 4 a.C. Wikimedia Commons

Na gravidez, as antigas egípcias pediam proteção à deusa hipopótama Taweret. Egiptólogos interpretam o fato de Taweret ser representada por um animal que os egípcios sabiam ser extremamente perigoso como um indicador da necessidade de proteção. O achado reforça essa ideia. 

Thiago Lincolins


Leia Mais:

Receba em Casa

Vídeos

Mais Lidas

  1. 1 Crianças que nasceram como resultado do horrível programa Há 82 anos, nazistas começavam seu repugnante programa de ...
  2. 2 Os quatro milênios da Babilônia
  3. 3 Uma tempestade chamada Pagu
  4. 4 Inquisição: A fé e fogo
  5. 5 Marginália: As alucinadas ilustrações dos livros medievais