Notícias » Artes

Estudo aponta que abstinência de álcool causou delírios em Van Gogh

Uma análise psiquiátrica foi feita com base em centenas de cartas do artista, avaliando escrita, palavras e pautas

Wallacy Ferrari Publicado em 03/11/2020, às 11h00

Autorretrato com Orelha Enfaixada, pintado por Van Gogh em 1889
Autorretrato com Orelha Enfaixada, pintado por Van Gogh em 1889 - Wikimedia Commons

Uma equipe de pesquisas na Holanda jogou luz sobre os distúrbios de um dos principais artistas da história; de acordo com especialistas da University Medical Center Groningen, é possível que Vicent van Gogh tenha sofrido dois episódios de delírio decido a crises de abstinência causados pela ausência de álcool.

A análise do pintor pós-impressionista — conhecido por obras como Girassóis e A noite estrelada — levou em contar centenas de cartas escritas pelo artista, sendo a maioria delas enviadas para o irmão Theo. Com base na maneira que escreveu, nas palavras usadas e nos temas das correspondências, os pesquisadores conduziram um exame psiquiátrico.

O estudo de seu estado mental, divulgado pela BBC, apontou que o pintor experimentou duas ocasiões de delírio causados pela abstinência das bebidas alcoólicas, inclusive uma delas relacionada ao seu famoso corte na orelha. No entanto, como o paciente não apenas não pôde ser entrevistado, como não está vivo para explicar a cronologia dos fatos, a equipe enfatiza que as conclusões devem ser compreendidas com cautela.

Estudos anteriores já apontaram problemas psicológicos com o artista, sendo uma combinação de diversos transtornos como bipolaridade e limítrofe, sem nunca haver um diagnóstico relatado pela literatura médica. O novo estudo, no entanto, descarta a possibilidade de uma esquizofrenia, visto que Gogh não manifestava problemas com o mundo exterior, mas em maioria, com ele mesmo.