Notícias » Coronavírus

Estudo do Butantan: Serrana inicia vacinação em massa contra a Covid-19 hoje (17)

A pesquisa tem como objetivo analisar a eficácia da Coronavac e a redução das taxas de transmissão do vírus

Redação Publicado em 17/02/2021, às 10h05

Imagem meramente ilustrativa
Imagem meramente ilustrativa - Imagem de torstensimon por Pixabay

Através de um estudo impressionante, o Instituto Butantan iniciou hoje, 17, a vacinação em massa na cidade de Serrana, São Paulo. As informações são do portal de notícias G1.

Contando apenas com a participação de moradores da cidade, a pesquisa tem como objetivo analisar a eficácia da Coronavac e também a redução das taxas de transmissão do novo coronavírus. 

O estudo também representa uma oportunidade de analisar o efeito nas vítimas internadas, óbitos, além do tempo necessário para Serrana atingir a imunidade de rebanho.

As primeiras vacinas devem ser aplicadas a partir das 14h, em oito escolas que foram preparadas para realizar o ato com maestria.

O plano

O anúncio do estudo foi feito no dia 7 de fevereiro através das redes sociais da prefeitura de Serrana.

Fora explicado que pessoas com mais de 18 anos poderão participar do estudo elaborado pelo Instituto Butantan, que contará com doses da CoronaVac. Também vale ressaltar que as doses aplicadas através do estudo não interferem no plano de vacinação nacional. 

“A ideia é vacinar o maior número de pessoas da população adulta. Nós estamos prevendo uma vacinação que pode chegar a 30 mil pessoas. E, com isso, a gente acompanha a evolução da epidemia. Tem aspectos técnicos que vão permitir fazer cálculos, fazer projeções, que vão calcular se a vacina é eficaz em diminuir a transmissão ou não, qual a porcentagem. Tem toda uma metodologia que vai permitir que isso seja feito”, disse Dimas Covas, atual diretor do Instituto no momento do anúncio.

O plano se deu após o Instituto constatar que 5% das pessoas que vivem em Serrana se mostraram ativas para o vírus. Além disso, um total de 10 mil pessoas se dirigem até a região para trabalhar, assim aumentando a possibilidade de disseminação do vírus.

“A primeira pergunta que queremos responder com esse estudo é: será que com essa vacina vamos realmente sair desta pandemia? Nós já sabemos que essa vacina é segura e eficaz, mas agora, quando pensamos no coletivo, na sociedade, será que nós vamos conter a pandemia com essa vacinação? Não estamos pensando em pessoas isoladas. Estamos pensando em comunidades. Para que esse estudo dê certo, a comunidade como um todo tem que participar”, explicou Ricardo Palácios, que é atualmente Diretor de pesquisa do Instituto Butantan.